terça-feira, 26 de agosto de 2008

As alterações do novo Estádio do Marítimo

Afinal, o Governo Regional vai entregar o Estádio dos Barreiros ao Marítimo clube e não à SAD? Esta mudança de planos vem mostrar, mais uma vez, o desacerto do GR e a sua falta de estratégia.
O Interesse público do estádio vai continuar? Mas como, se a estratégia comercial do novo Estádio se mantém? É, no mínimo, positivo começarem a fazer alguns acertos à ideia inicial, no entanto, não são suficientes.
Já agora, como é que anda aquela história das suspeitas de fraude fiscal do Marítimo?

4 comentários:

O Puma disse...

Já não é preciso ir ao circo

nem para rir nem para chorar

J.A. disse...

Professor,

É um bálsamo saber que nos dedicam um pouco da sua atenção, lendo-nos. Não falo em meu nome, mas no do livro: honra-me muito o seu parecer.

Grata,

Joana Aguiar

BaBy_BoY_sWiM disse...

Essa situação já foi explicada pelo Secretário Regional da Educação e do Desporto. Ele disse que o estádio desde sempre teve a sua vertente comercial, desde a venda de comes e bebes dentro e as entradas pagas, por isso é com toda a lógica que se coloque um espaço comercial no novo Estádio do Marítimo!

Espaço do João disse...

Como não poderia ser , a explicação do secretário regional não podia ser contra a vontade do AJJ, Ele até é o sócio mais importamt do CSM. Quando se fez a inauguração do Estadio dos Barreiros, fui um dos presentes numa classe de ginástica elaborada pelo prof. Fernando Martins Ferreira.Um grande amigo e, 1º professor de educação física licenciado a exercer na Madeira. Nos discursos ouvidos foi que o estádio seria sempre dos madeirenses e, não pertença de algum club qualquer. Como a Flama está a apresentar-se em breve (refiro-me ao novo partido ) nada me admira que seja a primeira oferta a fazer a um club de futebol que vive à custa do erário público.