quarta-feira, 9 de abril de 2008

Novamente a toxicodependência

O deputado André Escórcio, no seu blogue, http://comqueentao.blogspot.com/, aborda de um modo claro e incisivo a situação da toxicodependência na Madeira.
Estive na Assembleia Legislativa da Madeira na legislatura de 1996/2000. Relativamente ao dossiê da toxicodependência, o posicionamento do partido maioritário era o de que, na Região, esse drama não existia e os pequenos focos estavam controlados.
Foram anos a bradar que o problema era muito preocupante e que necessitava de uma actuação muito séria.
Regresso à Assembleia em 2007 e o que verifico?
Em 2006 - 1300 atendimentos no centro de S. Tiago.
Em 2007 - 1800 atendimentos.
Em 2006 - 24.000 seringas distribuídas.
Em 2007 - 48.000 seringas.
O consumo de heroína disparou 700% de um ano para o outro e crianças há de 11/12 anos consumidoras de estupefacientes.
Há doze anos contrariaram as preocupações denunciadas na Assembleia pela oposição. Hoje, andam de mãos à cabeça sem saber o que fazer. Perderam, claramente, o controlo da situação. E o mais curioso é que, esta manhã, o grupo parlamentar do PSD-M apresentou uma proposta de Lei à Assembleia da República, no sentido de voltar a criminalizar o consumo, isto depois de, em 2001, ter concordado com a despenalização, no pressuposto que o toxicodependente é um doente e não um criminoso.
Em suma, a ideia que fiquei do debate desta manhã é que o governo dá mostras que não sabe quais as medidas que deve tomar. Daí que, como é vulgar se dizer, chuta a bola dos problemas para a frente, numa tentativa de, publicamente, dar a ideia que alguma coisa está a ser feita.
Só que o drama da toxicodependência, pela sua complexidade, não se resolve mandando os doentes para a prisão, no pressuposto que o combate ao flagelo passa pela via da criminalização.
Coitado do pequeno consumidor, digo eu! Criminalização sim, sem dó nem piedade, para o traficante que espalha a miséria e rompe com os alicerces familiares. Perguntem às famílias se desejam ver os filhos na prisão!"

12 comentários:

Nilson Barcelli disse...

O problema da droga existe por todo o lado, desde a grande cidade até à mais afastada aldeia.

Como quem quer droga arranja-a sempre, sou a favor da despenalização. Pelo menos das mais leves.
Devia vender-se nas farmácias e pronto.

Resististe às enxurradas...? Vi na TV e a coisa esteve feia em várias zonas da ilha.

Abraço.

BaBy_BoY_sWiM disse...

Aguardo com curiosidade a publicação do relatório de 2007...

700% é muito... Isso não é bem verdade.

Depois de ser publicado esse relatório então poderei dizer algo.

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querido Rui, belíssimo texto...
Sobre esta triste realidade, do nosso País e do mundo.
Beijinhos de carinho,
Fernandinha

Oliver Pickwick disse...

Este é um dos "6", do número "666" da Besta Escarlate. Triste e cada vez mais crescente realidade.
Um abraço!

Lyra disse...

O tempo é escasso mas não quis deixar de passar para dar um beijinho.

Até breve!

;O)

Juℓi Ribeiro disse...

Rui:

Este é um assunto que não domino...
Para mim é mais fácil falar de poesia, artes e literatura.
(Risos...)
Mas gostaria de fazer um humilde comentário, ok?
Esse é um problema mundial.
Retrata uma triste realidade.
Para onde vai o dinheiro dos cofres públicos?
Poderia ser utilizada mais verbas com projetos de incentivo a educação e cursos profionalizantes.
Tanto poderia ser feito para melhorar esta criminalização e este sofrimento...
Mas minimizar este quadro
não é do interesse dos nossos governantes.
Denominaria este fato
de "política da miséria".
Quanto mais miseráveis, esfomeados e sofredores estiverem,
mais fracos para reagir e lutar pelos seus direitos.
Mas a história nos ensina
que tudo pode mudar e que
os eleitores aprendem a reagir
e os políticos mudam.
Não é de uma hora para outra,
porém a semente plantada
rasga a terra e bravamente brota...
Um abraço.

Juℓi Ribeiro disse...

Esqueci de dizer que concordo plenamente que existem muitos criminosos "maiores" dos que os consumidores em relação a toxicodependência.
São aqueles poderosos, que estão com os cofres cheios de dinheiro
que recebem das vítimas deste flagelo social.
Beijo.

Marta Ribeiro disse...

Não é só na madeira..mas sim em todo o mundo...

Ivani disse...

unff...
Realmente essa realidade não esta presente somente aqui no Brasil.
Em relação a qualquer assunto a minoria ou menos favorecidos sempre são os que sofrem as consequencias.


bjoo

Alexandro Pestana - www.miradouro.pt disse...

Quem deu autorização para construir marinas e acessos ao mar sem vigilância a sério, merecia ir dentro! Tenho quase a certeza que a droga está a entrar por mar e nem uma porcaria de um radar temos para ver aproximações de navios nas nossas costas etc etc por causa de uma porcaria de um passarinho no pico do ariero! Entretanto, vamos vendo crianças até na festa da flor a pedir dinheiro pra droga entre os turistas. Que imagem bonita que esta a ser passada ca pra fora! dasss....

isabel mendes ferreira disse...

e fico de coração "aflito"....




(cisas de quem tem um filho de 14 anos)


::::



beijo. grato.


pelo post.

(Un)Hapiness disse...

este tema toca-me de maneira especial...

de facto,não é indo contra o pequeno consumidor q se vai resolver alguma coisa!!! há q apanhar os peixes gradudos...o problema foi q realmente n souberam ligar c a situação...e agr, agr é o q se ve...