quinta-feira, 29 de maio de 2008

O negócio do futebol

O Campeonato da Europa de Futebol vai começar e considero oportuno fazer uma breve reflexão sobre o mundo das importações e das exportações de jogadores de futebol.
No Brasil, a venda de jogadores é uma das maiores receitas do país. Só no ano passado, em 2007, saíram do Brasil 1.064 jogadores de futebol, à procura de sucesso. O curioso, ou não, é que este negócio transformou-se no principal produto de exportação brasileiro.
Segundo uma notícia do DN Online, entraram no país cerca de 195,2 milhões de euros só em negociações de jogadores.
Como seria de esperar, o maior importador destes jogadores é Portugal. Em 2007, foram contratados por clubes portugueses 227 jogadores brasileiros, enquanto que em 2006 tinham sido contratados 142.
O que está aqui em causa não são os direitos dos trabalhadores estrangeiros exercerem a sua profissão em Portugal, ou noutro qualquer país, o problema que se coloca é o da qualidade da esmagadora maioria deles.
Ora, esta moda de contratar jogadores brasileiros vem prejudicar os escalões de formação e o trabalho de continuidade dos nossos novos valores. O que vemos, época após época, é o reenvio de grande quantidade destes jogadores brasileiros para o Brasil, por falta de qualidade, enquanto outros se arrastam pelas divisões secundárias e campeonatos regionais, acabando depois no desemprego.

Urge reflectir sobre esta questão de um modo sério. Na nossa Selecção Nacional de Futebol, já temos dois brasileiros a representar o nosso país e, na minha modesta opinião, julgo que haveria jogadores portugueses, sem serem brasileiros nacionalizados portugueses, que poderiam ocupar, e muito bem, a sua posição na equipa das Quinas.Mas são opções. Não concordo, mas não será por isso que deixarei de torcer pela minha Selecção Nacional.

12 comentários:

(Un)Hapiness disse...

concordo plenamente ctg...ms este país é de modas...pode ser q esta moda passe..quiça...:)

kiss

Lc disse...

Tanta vez, que já vi, ir buscar bem pior (em qualidade) do que existe cá, ainda não percebi pk?
Concordo contigo, não acho muita piada em nacionalizar jogadores que não conseguem jogar nas selecções dos seus países...
Enfim, vamos acreditar numa boa campanha.

Alexandro Pestana - www.miradouro.pt disse...

Negócio negócio é o "cartão de sócio" da selecção do banco que quer e está a conseguir impingir o recurso ao crédito e aos serviços do tal banco usando a droga dos portugueses, o futebol! lol

Com respeito a estar a meter estrangeiros na selecção, O problema é que se não há jogadores com cabeça e boas maneiras em Portugal, é natural que tenham de ir buscar lá fora... Não há nenhum treinador que chegue aos calcanhares do scolari, tem uma cultura muito acima da média, claro, ele é de fora daqui!

Joana Dalila Santos disse...

Bom fim de semana*

pin gente disse...

estou completamente de acordo.

abraço
luísa

Menina do Rio disse...

Em relação a venda de jogadores brasileiros, a receita não é gerada pelo pelo país (se assim fosse, estariamos ricos); e sim é rateada entre o jogador, o clube e os cartolas...

Um beijo

com senso disse...

O que diz é sensato e tem toda a razão de ser, contudo, o futebol ao ter-se tornado um negócio de milhões, onde tantas vezes não há brio, nem amor à camisola, tornou-se para mim fastidioso!
Para lhe ser honesto, acho que esses jovens seleccionados (naturais ou naturalizados) a mim não me representam em nada, representam quem os escolheu.
A maior parte, quando abrem a boca é uma desgraça, depois em campo são useiros e vezeiros em simular "toques" e em cometer agressões escusadas.
Deixei de ver os jogos, pois muitas das vezes, não respeitam sequer quem paga os bilhetes, para ver o espectáculo em que eles são os interpretes principais. Andam para ali, a fingir que jogam e a ver se o tempo passa! Por isso... Desejo-lhes a eles muito boa sorte... Se ganharem, óptimo para eles... Se perderem, lamento por eles.... De uma maneira ou de outra o dia deles acaba sempre no respectivo Ferrari ou Jaguar, a caminho da sua mansão de luxo, onde certamente haverá uma lourinha a ouvir delirante o Tony Carreira, enquanto o espera... Boa sorte então!!!!

Nilson Barcelli disse...

É bem verdade o que dizes.
Os dirigentes desportivos não olham a meios para serem campeões...

Bfs, abraço.

© Piedade Araújo Sol disse...

e eu que nao entendo nada de futebol....

bfds

Letícia Perini disse...

concordo com a sua opinião sobre a venda de jogadores brasileiros, e euu tbm não deixo de torcer pela minha seleção por causa disso ;D

mariam disse...

pois.......
e "biba" Portugal (com mais ou menos areia! LOL)
e mais a "nossa" selecção...

bom fim-de-semana
semana em "alta"

um sorriso :)

jawaa disse...

O futebol é outro negócio que nem merece comentários da minha parte.
Enfim, a verdade é que «o futebol é que induca e o fado é que instrói» e Fátima continua a ser o refúgio que alimenta o povo deste país de analfabetos.
Um abraço