terça-feira, 22 de julho de 2008

O dinheiro que a Madeira recebe!!


Em relação ao discurso do PSD-M que não se cansa de acusar José Sócrates e o seu PS de roubar os madeirenses, lanço as seguintes perguntas e as respectivas respostas:
Quem é que paga a Segurança social dos madeirenses? O Governo da República.
Quem é que paga o rendimento social de inserção na Madeira? O Governo da República.
Quem é que paga a Universidade da Madeira? O Governo da República.
Quem é que paga a convergência tarifária de electricidade na Madeira? O Governo da República.
Quem é que paga a comparticipação Nacional dos apoios ao sector agrícola na Madeira? O Governo da República.
Quem é que paga todos os serviços dos tribunais na Região? O Governo da República.
Quem é que paga as polícias, a cadeia, a Marinha, o Exército, a Força Aérea, na Madeira? O Governo da República.
Quem é que paga a protecção da Zona Económica Exclusiva da Região? O Governo da República.
Quem é que paga os apoios às viagens dos residentes na Região? O Governo da República.
Quem é que assegura as verbas transferidas para a Madeira no âmbito do PIDDAC(Programa de Investimentos e Despesas de Desenvolvimento da Administração Central)? O Governo da República.
Quem é que paga aos madeirenses o acesso gratuito aos canais generalistas através da Cabo TV? O Governo da República.
Quem é que paga os 5% de IRS que as Câmaras Municipais da Região têm direito, mas que o Governo Regional guarda nos seus cofres? O Governo da República.
Quem é que paga às Câmaras da Região o Fundo Geral Municipal? O Governo da República.
Quem é que paga às Câmaras da Região o Fundo de Coesão Municipal? O Governo da República.
Quem é que paga às Câmaras da Região o Fundo de Base Municipal? O Governo da República.
Quem que paga às Câmaras da Madeira o Fundo de Equilíbrio Financeiro? O Governo da República.
Quem é que paga às Câmaras da Madeira o Fundo Social Municipal? O Governo da República.
E muito mais haveria por enumerar. Naturalmente que temos direito a todo este apoio financeiro, porque somos uma parcela de Portugal, mas já não temos o direito de acusar o Governo da República de roubar os madeirenses, tal como faz o Governo Regional.
Se lhes dessem a independência da Madeira como os governantes Regionais do PSD querem, quem pagaria tudo isto?
E o Governo Regional afinal o que é que paga?
Não nos devemos esquecer de que os impostos arrecadados aos madeirenses ficam todos, sem excepção, na Madeira, nos cofres do Governo Regional, liderado pelo PSD.

8 comentários:

amsf disse...

Apesar de tudo ainda faltam algumas comparticipações do Governo da República:

-Toda a habitação feita na Madeira a custos controlados conta com uma comparticipação de 40% do Instituto Nacional de Habitação.


-Toda a função pública da ilha da Madeira recebe um subsídio de insularidade de 2% e da ilha do Porto Santo de 30%...

-O Instituto do Livro e das Bibliotecas (Nacional) reembolsa os editores e distribuidores pelos custos de envio para as regiões autónomas das publicações não periódicas (livros).


-Estudantes economicamente carenciados das regiões insulares podem requerer anualmente uma passagem de ida e volta (Despacho 1199/2005)...

-Como forma de amenizar a descontinuidade territorial o Governo da República isenta os armadores de pagar a Segurança Social e o IRS dos seus trabalhadores e só paga IRC sobre 30% dos lucros. O que naturalmente se reflectirá no preço final dos produtos transportados por via marítima.

Etc

Anónimo disse...

A comparticipação nacional dos apoios agrícolas jã não são pagas pela República. Quanto a mim, erradamente.

José Luís disse...

Srº professor.Este seu artigo deveria ser publicado, nem que fosse como publicidade paga,nos orgãos de comunicação social,para que os Madeirenses pudessem ter conhecimento das verdades dos factos e tomarem consciência do que realmente o governo regional faz com os nossos impostos e aí sim poderem julgar a verborreia do Albertinho e companhia.Cumprimentos.

Anónimo disse...

muito bem dr rui

assim, elogiando o governo de lisboa, vamos ter um ps-m vitorioso...

xistosa - (josé torres) disse...

Até me falta o ar para qualquer comentário.

Só queria pedir autorização para "copiar" a lição para o meu blog, com as devidas referências.
Será que o posso fazer?

MouTal disse...

Não sabia que pagava tanto para ajudar o Alberto a perpetuar-se no poder...mas enfim...

Estive aí recentemente e gramei com o fado do desgraçado e explorado madeirense...e ouvi muitas histórias dos grandes empreendedores da ilha.
Curiosamente um senhor chamado Jaime Ramos aparecia sempre como tendo comparticipações em tudo o que eram "sociedades" disto e daquilo.
Pela conversa,o homem tem cotas em todo o lado...
Já foi feito algum levantamento dos interesses desse lídimo paladino da democracia madeirense?
É que eu fiquei curioso de saber.

jawaa disse...

Também me falta o ar... assim preto no branco merecia sim ser publicado algures, mais o que acrescenta AMSF.
Talvez os madeirenses começassem a perceber em quem votam!

Espaço do João disse...

Meu Caro Rui.
Com tanta lucidez e elequência este seu artigo devia ser reportado em todos os jornais. Por cá, aqueles que só visitaram a Madeira uma vez ou só ouvem o AJJ, não acreditam muitas das vezes naquilo que digo sobre a Madeira. Tenho dito várias ocasiões que para ir de Vila Real de Trás-Montes até Vila Real de Santo António podem lá chegar a pé, mas na Madeira se não votar AJJ nem à vela se chega a Lisboa. Não sabem que a Madeira é de meia dúzua de colarinhos brancos e que 90% dos madeirenses só teem trabalho porque o PSD é quem manda. Se formos a certas freguesias e perguntarmos quem é o presidente da Câmara ou o presidente da junta dizem que é o Alberto João.Não chego a compreender como um Governante considera o Madeirense um povo superior, se o índice de ileteracia é tão grande. Não ponho em causa a tenacidade dos madeirenses fora da Madeira, mas na sua terra natal, é arrogante e muitas das vezes inconveniente. Posso afirmá-lo porque tenho corrido desde a Europa, passando por varios países Africanos e Americanos, verificando o quanto se sacrificam para que um dia possam ser alguém. Por aqui me fico. Um grande abraço do conterrâneo João.