quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Despedimentos nos jornais

O "Jornal de Notícias" e "Diário de Notícias" vão dispensar cerca de 25 pessoas cada.
A administração da Controlinveste deu início a um processo de despedimento colectivo que abrange 122 colaboradores em diferentes áreas do grupo, de acordo com um comunicado interno a que a Lusa teve acesso. Cerca de metade dos dispensados são jornalistas, sendo que os títulos mais afectados serão os dois maiores jornais do grupo, o "Diário de Notícias" e o "Jornal de Notícias", segundo uma fonte da empresa, citada pela Lusa.
De acordo com a mesma fonte, também o desportivo "O Jogo" irá reduzir cerca de 15 trabalhadores, enquanto o "24Horas" extingue a delegação do Porto, onde trabalham 10 pessoas.
http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1356202&idCanal=61

2 comentários:

il _messaggero disse...

As edições em papel dos jornais estão em queda desde algum tempo.

Com o mercado publicitário a se contrair devido à crise, estes dois factos fazem com que este pseja um cenário que nos próximos tempos seja cada vez mais frequente - isto num sector milhares de desempregados.

Acrescente-se a isto o facto do Governo pretender extinguir a publicidade oficial de anúncios públicos em imprensa nacional, regional ou local, em sequência da intenção de um portal que substituirá tudo isto. Acrescente-se que estas receitas são em média 40% do que é angariado em publicidade, pretendendo assim o Estado poupar alguns milhões de €. O problema é que talmedida poderá suscitar mais despedimentos.

P.S. Recordo que mesmo no sector dos gratuitos, tem havido grandes mudanças neste início de 2009. "A Sexta", semanário feito em parceria entre o "Público" e "A Bola" acabou, isto só para dar o exemplo...

P.P.S. isso não invalida que estejam na forja novos projectos. Sei que lá para Setembro aparecerá um novo jornal no segmento para leitores do segmento "Público" ou "Diário de Notícias" - chamada imprensa diária de referência. No entanto, dadas as baixas vendas nesse segmento - também devido ao elevado custo dos mesmos, por comparação com "Correio da Manhã" ou "Jornal de Notícias", não auguro grande futuro ao mesmo. Creio que será apenas para afirmação nesse segmento de algum grande grupo de comunicação.

Luis Miguel disse...

2009 começa em força...