terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Operador italiano e o Porto Santo

Li no DN que "o Governo não quer perder operador italiano.
Governo regional quer negociar continuidade dentro de valores mais razoáveis.
A interrupção das obras do Colombo Resort, a inevitável crise do turismo e a possibilidade de mais hotéis do Porto Santo fecharem no Inverno, lançando dezenas de pessoas no desemprego, são os factores que o Governo Regional está a ponderar para evitar a saída, definitiva, do operador italiano I Viaggi di Atlantide".
Sempre considerei um tanto exagerada a aposta, quase cega, de construção de várias unidades hoteleiras no Porto Santo, tendo em conta as especificidades daquela ilha. Parecia que tinham descoberto uma galinha com ovos de ouro.
Quanto a mim, se fizeram estudos de viabilidade económica, houve alguma precipitação e pouco cálculo de risco. Mas a haver responsabilidades não podem recair apenas nos investidores privados, os gestores políticos devem também assumir a sua quota parte das responsabilidades.
E mais. Ouvi dizer que o operador italiano sai do Porto Santo, mas continua a operar para a ilha da Madeira. A ser mesmo verdade, será algum golpe de rins?... E o Porto Santo?

2 comentários:

Professorinha disse...

Custa-me ver estas coisas acontecerem também na Madeira...

Alexandro Pestana - www.miradouro.pt disse...

O porto santo vai ser pra plantar cactos e largar camelos para atracção turística só no verão... LOL. Aquilo é uma espécie de parque de diversões que só compensa no verão, o resto do ano é uma lástima... Nem sei como é que há gente instalada lá e como há quem enterre milhões num lugar daqueles... Só o fazem com os apoios da união, como diz o outro... depois de paparem o dinheiro, falem aquilo tudo e vamos embora daqui pra fora... LOL.

Quem mais culpa tem é quem aprova financiamentos pra certas coisas sem viabilidade alguma...