domingo, 25 de julho de 2010

Protagonista: Rui Caetano - "Compete a cada cidadão construir o seu próprio caminho"

Diário de Notícias
Domingo, 25 de Julho de 2010


Rui Caetano foi empossado como presidente do conselho executivo da Escola Gonçalves Zarco. Um cargo que pelos vistos não motiva os professores. Porque será?

Porque implica imenso trabalho, dedicação, muita responsabilidade, em suma, 24 horas ao serviço da comunidade escolar e com poucos meios financeiros para gerir.


Como socialista, deve sentir-se em terreno adverso, onde domina a máquina social-democrata. É uma espécie de foice em seara alheia?

A situacão política da Região tem o seu peso, todavia, a comunidade escolar, em virtude do trabalho já realizado, acreditou nas pessoas e no projecto, independentemente das opções políticas. Toda a gente sabe quem eu sou, mas aqui, esteve em causa a pessoa, o professor, e não a ideologia.

Na Madeira sente que as preferências políticas limitam aspirações?

Limitam. O poder procura exercer e alargar a sua influência. Mas compete a cada cidadão construir o seu próprio caminho, sem desistir. É o que tenho feito. Seguro das minhas convicções, tenho exercido a minha cidadania de forma plena e, aos poucos, vou realizando os meus sonhos de vida.

Os professores voltam a viver momentos de angústia. Até quando?

Quando os políticos reconhecerem o valoroso papel dos professores na construção da nossa sociedade. Mesmo assim, não abdicamos do nosso profissionalismos nem da nossa missão de ensinar e educar os nossos alunos.

http://www.dnoticias.pt/impressa/diario/220141/analise-da-semana/220189-protagonista-rui-caetano

4 comentários:

jj disse...

A Escola onde fiz o meu 5º ano de escolaridade!... (Acho que em 1990 - na altura, as aulas de Educação Física ainda ersm nos Barreiros...) Depois fui para o privado de onde nunca mais saí. Mas guardo muito boas recordações da Gonçalvez Zarco - acho que foram dois professores desse 5º 3 que determinaram as minhas opções profissionais.

Muitos Parabéns!!! Muita força, boa sorte, bom trabalho. Não nos é muito natural a assunção do nosso próprio caminho, mas assim é de facto.

Jinhos.

Ailime disse...

Prof Rui Caetano!
Parabéns por ter sido nomeado para este cargo tão importante na vida da sociedade em geral.
Faço-lhe um pedido baseado na experiência que como mãe já passei quando os os meus filhos frequentaram o ensino secundário. Sei que as dificuldades neste momento são acrescidas, mas não deixe que os Professores que vão depender de si se sintam desmotivados.
Isto porque muitas vezes dizem que os alunos são maus, que são mal educados, que os pais não os educam e que a Escola não os pode substituir.
Tudo isto é verdade, será verdade!
Mas uma coisa lhe peço e o Prof. Rui Caetano sabe melhor do que eu: por detrás de uma criança agitada, mal comportada, há sempre um problema. Maior ou menor. Por favor ouçam-na e depois avaliem.
Muito obrigada e desejo-lhe o maior sucesso.
(Continuo a visitá-lo, porque o admiro e porque um dia me ouviu através de um pequeno poema que dediquei a minha mãe chamado "as lágrimas de minha mãe" o que muito me sensibilizou).
Com os meus respeitosos cumprimentos,
Emília Simões
(Ailime)

Espaço do João disse...

Meu ccaro Rui.
Trabalho, competência e perserverança são lemas que não nos podemos esquecer. Tenha força, pois vai encontrar muitos escolhos. As vagas alterosas que nos sacudirão da praia, hão-de voltar a amainar. Um abraço de amizade João.

Miguel Ângelo disse...

Ser-se Presidente de uma Direção Executiva não será tarefa fácil nos tempos que correm. Num momento particularmente delicado, em que o docente, ou melhor, todos os docentes sentem na pele uma certa tentativa de descredibilização da profissão perante a sociedade, no entanto, afirmo que é através da EDUCAÇÃO, como instrumento, que se pode efectivamente mudar uma sociedade nos seus valores, nos seus princípios, no seu rumo ao progresso, à produtividade e ao sucesso. Costumo afirmar que de EDUCAÇÃO percebem os professores; de Medicina, os médicos; de Engenharia, os engenheiros; de leis, os advogados; de projectos de arquitetura, os arquitetos e por aí adiante.
Deixem as Escolas serem “governadas” por quem delas percebe e quem através delas pretende transmitir conhecimentos, competências e saberes úteis à vida profissional, social e pessoal daqueles que a elas recorrem. A instituição ESCOLA massificou-se, porém conseguiu transformar uma sociedade: mais globalizada, mais rica em conhecimento, mais virada para o futuro, mais aglutinadora de diferentes sensibilidades, mais inclusiva. É certo que a instituição ESCOLA, não vive sem os seus alunos, os seus verdadeiros clientes, mas os professores são sem sombras de qualquer dúvida os transmissores de conhecimento, de competências, de saber para o exercício de toda e qualquer profissão.
Alguns perceberão - tardiamente, ou até não - que as ESCOLAS têm a nobre missão de ensinar e certificar e que aos professores é-lhes exigida essa função. Com efeito, os professores são/serão sempre a correia que move todo este sistema social, em que os bons deverão ser premiados e os menos bons designados para outras áreas profissionais. Não podemos descurar que qualquer país não pode viver sem um sistema educativo activo, competitivo, motivador e encorajador. O meu comentário ficará por aqui para não me tornar demasiado fastidioso e, por outro lado, que as novas funções sejam repletas de eficiência, profissionalismo, rigor, isenção e de alguma complacência.
Bom ano lectivo de 2010/2011!