segunda-feira, 9 de junho de 2008

IRS na Madeira, governo PSD. IRS nos Açores, governo Socialista.

Leiam no blogue do deputado André Escórcio: http://comqueentao.blogspot.com/:
-
Uma declaração de IRS que, na Madeira, tenha lugar a uma devolução de € 953,67, na Região Autónoma dos Açores, a devolução seria de € 4.050,46. Uma diferença de € 3.096,79.
Alguém poderá explicar isto?

8 comentários:

Zéza disse...

Não entendo da política portuguesa - nem mesmo da brasileira! - mas estou vendo que você está engajado na luta por dias melhores! Obrigada pela visita! Beijos azuis da vó Zezinha!

São disse...

Li bem?!
Mas li mesmo bem??
Bom feriado.

Alexandro Pestana - www.miradouro.pt disse...

Agora percebo como o regime mamadeira funciona... Vão chulando o povo em impostos para terem capital para ir fazendo obras públicas mesmo que sejam lixo e vão inaugurando e fazendo campanha com elas pra ganhar eleições e deixar toda a oposição pra tras! Assim eu também ganhava eleições, mamando o dinheiro do povo pra usar na própria desgraça e ilusão deles!

Chute esses valores ca pra fora nos jornais da mamadeira, se é que eles tem coragem para publicar uma notícia dessas. Se isso saisse na primeira página de um jornal diário, havia de ser lindo...lol

mdsol disse...

Como assim?
Como é isso possível? Não haverá engano?
:)

Anónimo disse...

foi para isto a lei das finanças regionais a favor dos açores

Um Momento disse...

Hein??
Espera lá que eu acho que as pilhas da máquina de calcular estão... falidas

(*)

Espaço do João disse...

E assim se vê a força digo (forca ) do PSD.

Mariz disse...

Salvé!
Agora é que era caso para dizer:
"ora....3 milhões... vezes.....dá.....bem...é só fazer as contas!"
Como de contas realmente não é o meu forte, mas deve sê-lo para a Madeira e Açores, que estão sempre em défices, etc.etc..mais o continente de cá!famílias endividadas á imagem do país...é melhor esquecer! Estamos a caminhar para os finais dos tempos, para quê agora ficar-se preso a números, cálculos, corrupção, etc.Penso que seria mais profícuo "olhar-se para dentro de si/de cada um" e ver-se onde é que está o mal. É que...a verdadeira derrocada ainda não chegou, mas está perto...muito perto. Depois quem é que se lembra mais de 3 milhões e...???
ninguém! ou sequer têm vontade de virem gritar para as ruas que a educação não quer avaliação, os transportes querem mais revisões salariais e de combustível e ninguém ouve, porque vão ficar presos a uma só preocupação: alimentar-se e aos filhos. Alguns até podem continuar com as contas chorudas...mas se não tiverem onde gastar em alimentação e outros bens essenciais...resta-lhes o quê? comer o seu dinheiro e beberem a água das piscinas de casa!...porque as fontes...secaram!
Para quê desgastarem-se com tanta coisa exterior e ninguém se preocupa com o seu ESTADO INTERNO! - porque será por aí que as coisas mudam! Lá dizia Fernando Pessoa: "...falta cumprir-se Portugal"! - e não é com golos da selecção!

fique bem

Mariz