quarta-feira, 4 de junho de 2008

O Parlamento Regional e o Governo

O exercício da democracia na Madeira tem imensas deficiências, mas o respeito que o Governo Regional tem pela Assembleia Legislativa é nulo.
O Diário de Notícias fez as contas e o resultado foi o seguinte:
-
"Data: 04-06-2008
-
Governo dá 37 negas ao parlamento
Das 40 audições ao Governo, pedidas pela oposição, apenas três se realizaram
-
Ao longo de um ano, desde o início da legislatura, entraram na Mesa da Assembleia Legislativa da Madeira 45 pedidos de audições parlamentares, a maioria dirigidos a membros do Governo Regional. Foram todos apresentados pela oposição e tiveram, com raras excepções, o mesmo destino: rejeitados pela maioria social-democrata, com o argumento de que não eram oportunos.
O GR, pura e simplesmente, não se desloca ao parlamento, salvo raras excepções e apenas quando o Regimento assim o exige. O anterior, porque o novo nem a isso vai obrigar."

7 comentários:

Luís Costa disse...

Olá Rui Caetano
O seu relógio de contagem decrescente diz mais de si do que 100 poemas. A minha vénia.

P.F- Conte-me como estão aí as coisas, relativamente ao "antigo regime" de gestão. A iniciativa do meu "Cravo de Maio" Teria, aí, pernas para andar?

email- luisfrcosta@sapo.pt

Sei que existes disse...

Está tudo a ficar em maus lençois... Não me parece que isto vá dar a bom sitio...
Beijo grande

O Sibarita disse...

Oi Rui!

Ai como cá é tudo a mesma coisa só muda o endereço do governo!

Jogue duro, não dê moleza a esse pessoal, nós eleitores temos mesmo que cobrar, é isso...

abraços,
O Sibarita

elvira carvalho disse...

É assim também aqui. Democracia, democracia, é só o nome porque o regime... nada tem de democrata.
Um abraço

Joana Dalila Santos disse...

Isto é assustador!

mdsol disse...

Claro que é uma maçada valente ter de ouvir uns quantos a colocar questões... Ora bem... Então se o homem sabe tudo, o resto só servirá para empatar...Um estorvo haver oposição...Tá-se mesmo a ver não tá?
:))

BANDEIRAS disse...

Oi,

A política em todo canto é igual, e os políticos muitos parecidos, ums com os outros.
abs