domingo, 15 de junho de 2008

A Pobreza na Madeira

O Diário de Notícias de hoje publica uma notícia sobre a pobreza na Madeira que nos deve preocupar seriamente.
-
"Data: 15-06-2008
54,5% à beira da pobreza

-
Estudo de Bruto da Costa lança um novo 'olhar sobre a pobreza' também na Madeira

Trabalho indica, também, que a pobreza persistente afecta 15,1% da população madeirense.
-
Mais de metade da população madeirense está vulnerável à pobreza e 15,1% vive em situação de pobreza persistente. Segundo um estudo, coordenado por Alfredo Bruto da Costa e promovido pelo CESIS - Centro de Estudos para a Intervenção Social, cerca de 136.250 madeirenses, num universo de 250 mil, passaram por um ano de pobreza num período de seis anos, considerado no trabalho. Uma percentagem que apenas é ultrapassada pelos Açores, com 62%, e pelo Algarve, com 58,7%. Ao nível nacional, 46% dos portugueses passaram pela pobreza em pelo menos um dos anos."

9 comentários:

Luis F disse...

Os meus parabéns pelo alerta e pelo trabalho realizado. Um dos maiores problemas da humanidade e que se alastra a olhos vistos por todo o lado.

Um abraço com amizade
Luis

elisabete fialho disse...

Viva Sr.Rui Caetano,este é sempre um tema demasiado real e cruel.
Eu posso afirmar que a pobreza dos nossos idosos chega a fazer doer de vergonha quando esbarramos nela
Quando a minha avó acamou,apostei em dar-lhe tudo o que ela um dia me deu.
Por isso fiquei 10 anos ao lado da cabeceira.Por o meu -homem- ser compreensivo e solidário,à minha velhinha nada faltou.
No entanto todos os meses tirava fraldas dos pacotes que compravamos para dar a outros idosos,dividia pomadas e cremes conforme podia para outros também protegerem a sua pele,fazia sopa em mais quantidade para levar a casais que pagavam as despesas da farmacia com 1 a 2 meses de atraso.
A pobreza no nosso Pais está a dar passos gigantescos
As visceras sobem-me à boca quando sua Ex.Estado Português afirma que nosso Pais é desenvolvido.
Fico sempre agoniada quando publicitam o trabalho das mesericordias e outros afins,junto das populações.
Provavelmente porque desconhecem,a quantidade de burocracia e o tempo de espera da palavra -deferido- isto quando os médicos estão embuidos do espirito de boa vontade e acedem a preencher os formulários e passarem as ditas declarações lógicamente com as palavras-favor-obséquio-gratidão-sempre há frente
Por muito ter visto até há 3 anos atraz posso afirmar que os nossos idosos estão a morrer de fome,sózinhos e indignamente.
Conheço bem demais os corredores da Assembleia da Republica.
Conheço bem demais as portas das salas da Assembleia da Républica.
Conheço bem demais -quais as matérias em forma de interesses comuns -obrigam essas mesmas portas abrirem-se.Por lá andei 6anos...
Final de domingo feliz
Um abraço até esse lado de Portugal

JPD disse...

A Madeira, apesar de já ser uma das regiões mais ricas do país, está agregada a uma estrutura de desenvolvimeno e de distribuição de riqueza que são estruturalmente débeis.
Logo não deixaria de apresentar indicadores preocupantes.

O drama é que a conjuntura acentua a crise e a margem de manobra é inexistente.

O Governo de Sócrates é o que é e a oposição silente.

Alexandro Pestana - www.miradouro.pt disse...

Até os Açores estão melhor do que a Madeira e dizem que aquilo está atrasado! lol

LuzdeLua disse...

Nossa, uma postagem muito importante e triste também. Fico pensando aonde a humanidade vai parar com tanto descaso assim.Até no Brasil que deveria ter uma população rica por sua extensão, há quem passe fome e ande mendigando qualquer sub emprego. Somos eternos escravos da tirania dos poderosos e políticos.Quando ou será que isso vai ter fim?
Um abraço e boa semana.

hiltom disse...

Infelizmente parece que o grau de pobreza aumenta em todo o mundo. Cada vez é maior a diferença entre ricos e pobres. Os ricos aumenta a sua riqueza a olhos vistos.
Enquanto continuarem a proliferar empresas de prestação de serviços, enquanto não houver empregos ou eles sejam precários, a pobreza cada vez é maior.Ainda no outro dia me contaram que há pessoas, que por verem os seus rendimentos de trabalho cada vez menores e as despesas com crédito habitação etc, sempre a subirem, acabam por ir ao Banco Alimentar buscar alimentos para conseguirem sobreviver.
Infelizmente este é o mundo em que vivemos.
boa semana

MutareBlog disse...

vamos esperar para ler o livro que sairá baseado neste estudo...

RFF disse...

Pobreza há em todo o lado. Infelizmente está a crescer. Na Madeira, como no resto do país, o flagelo atinge milhares de pessoas. Não será isso fruto da alta taxa de analfabetismo (com as consequências inerentes) que se registou na geração anterior a esta?

Espaço do João disse...

Só é cego aquele que não quer ver. Embora não comungue a ideologia do Senhor Edgar Silva, não deixo por mãos alheias as suas intervensões quando dos meninos das moedinhas e, da pobreza envergonhada.