segunda-feira, 23 de junho de 2008

Os desperdícios das autarquias II

Algumas autarquias pagam jantares e almoços a comitivas de fora do Concelho sem uma justificação plausível. Outras organizam passeios à Venezuela onde levam dezenas de amigos, gastando mais uns bons milhares de euros do erário público, sem qualquer retorno para o Concelho.
Em alguns casos perdem avultadas verbas quando, em vez de renegociarem os preços de aluguer de determinados espaços municipais, mercados e outros estabelecimentos, como é sugerido pelos arrendatários, recusam a proposta e viram as costas a estes pequenos empresários, forçando o encerramento dos negócios.
Algumas negociaram contratos ruinosos com as Sociedades de Desenvolvimento, sujeitando-se, de um modo subserviente, a pagar rendas incomportáveis para utilização de espaços públicos, controlados pelas referidas Sociedades.
Outras contratam empresas para fazer trabalhos administrativos que deveriam ser feitos pelos serviços e constroem estradas, sem qualquer utilidade, em locais limitados pelo PDM, zonas verdes sem uma única moradia, sem qualquer sentido estratégico, só por capricho ou conveniências pessoais.
Torna-se fundamental definir prioridades. Os bens públicos não estão ao dispor de alguns interesses, mas ao serviço do bem comum.

7 comentários:

Paula Calixto disse...

"Os bens públicos não estão ao dispor de alguns interesses, mas ao serviço do bem comum."

claps, clpas, claps

(((:

Beijinhos e sucesso sempre.

impulsos disse...

É por essas e por outras, que todos estamos a pagar um preço demasiado alto.
Tão alto que alguns ficam sem dinheiro após o pagamento das despesas mensais às quis não há volta a dar...
É o país que temos, com o desgoverno que se vê!

Beijo

Lena disse...

é vergonhoso estregar assim dinheiro "nosso", enquanto pessoas vivem na miséria..
e isso é em todos os lados e sitios,seja na Madeira, Portugal o aqui em França..

é bom que estes blogues sirvem para denunciar isso, ver se essas pessoas ganhem juizo e algum bom senso.

Um beijo

Anónimo disse...

Lisboa, 23 Jun (Lusa) - A Câmara Municipal de Lisboa discute quarta-feira a suspensão parcial do Plano Director Municipal (PDM) para a conclusão do projecto original do Centro Cultural de Belém (CCB), que inclui uma unidade hoteleira e equipamentos complementares.

A proposta do presidente António Costa (PS) supõe a "suspensão parcial, pelo prazo de dois anos prorrogável por mais um "de três artigos do PDM de acordo com uma resolução do conselho de ministros que "considerou justificar-se concluir o projecto original" do CCB.

ηatalie αfonseca disse...

Vivemos todos numa era de desperdícios...... Bem verdade! Consumismos a mais! ....

Bem haja :)

Adriana disse...

Oi! Será que foi isso, que nós, brasileiros, herdamos dos lusitanos? O que você colocou aí é apenas um pequeno retrato do que é o Brasil neste aspecto. O que fazer? Há um movimento forte para que coisas como essas deixem de acontecer, mas o poder político é maior, os interesses são outros e o povo mais uma vez é quem paga o pato. Que tristeza, heim?
Abraço.

♥M@cellY♥ disse...

"Os bens públicos não estão ao dispor de alguns interesses, mas ao serviço do bem comum."

qdo nossos exelentíssimos representantes políticos vão aprender essa lição???

Aff! =/


Bjão!