segunda-feira, 24 de novembro de 2008

As prioridades deste Governo Regional da Madeira

Ao longo de 30 anos, o Governo Regional (GR) impôs um modelo de desenvolvimento aos madeirenses assente, quase exclusivamente, nas obras públicas e na construção civil, sem nunca ter lançado as bases para um modelo alternativo. Hoje, a Madeira precisa de um programa de governo que dinamize o tecido empresarial e diversifique a economia regional. Um plano de investimentos que lance as bases para o surgimento de empresas ligadas ao sector das novas tecnologias, do conhecimento e da informação.
Um modelo de desenvolvimento sustentado que, por um lado, venha criar mais emprego e, por outro, garanta a qualidade de vida a todos os madeirenses e não apenas a alguns privilegiados do sistema.

Mas nada se alterou. Para 2009, a estratégia é a mesma de sempre.
O GR e as autarquias insistem na construção de estradas, túneis, campos de futebol e de golfe sem rentabilização, isto é, apesar da crise, as prioridades deste GR são o cimento e o alcatrão. Mais esbanjamento sem controlo, sem rigor nem contenção dos dinheiros públicos. E as pessoas? E os problemas concretos das famílias?
O GR encontrou 4,7 milhões de euros para a construção de um muro de suporte de um campo de futebol, mas diz não ter dinheiro para assegurar o transporte escolar dos alunos, que, a partir dos 12 anos, pagam 34 euros mensais por um passe.
Desencantou 5 milhões de euros para construir mais um teleférico, mas diz não ter dinheiro para pagar um complemento de reforma aos idosos. Arranjou 3 milhões de euros para construir uma praia artificial de areia amarela, mas diz que não tem possibilidades para rever a Acção Social Escolar no sentido de apoiar os estudantes. Juntou cerca de 47 milhões de euros para construir um novo estádio de futebol, mas diz que não tem verbas para aumentar as comparticipações nos encargos com a saúde. O que está em causa é a falta de critérios na definição das prioridades deste GR da Madeira.

2 comentários:

Cöllyßry disse...

O mais importante, ou seja as pessoas, fica sempre para depois, não é!

Beijitos



ölhår_Îñðîscrëtö...Å ¢µ®¡ö§¡dädë

Alexandro Pestana - www.miradouro.pt disse...

Deixe... eles estão a fazer a cama onde os netos deles se vão deitar!

Isto na Madeira está a ficar de uma maneira que um dia destes começamos a ver assaltos a mao armada como na venezuela. Roubar para poder comer!