segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Em 2009, haverá 210 milhões de desempregados no mundo?

"Segundo a Organização Internacional do Trabalho, a crise financeira pode criar mais 20 milhões desempregados em 2009.
A crise financeira global poderá contribuir para criar 20 milhões de novos desempregados no próximo ano por todo o mundo, afirmou hoje Juan Somavia, director-geral da Organização Internacional do Trabalho (OIT).
Segundo as estimativas da OIT, o número de desempregados pode passar de 190 milhões, apurados no ano passado, para 210 milhões no final do ano do próximo ano, afirmou Juan Somavia, em conferência de imprensa.
A população de trabalhadores pobres vivendo com menos de um dólar (0,75 euros) por dia pode aumentar em 40 milhões e a dos que vivem com dois dólares (1,5 euros) por dia em mais de 100 milhões, acrescenta a OIT".
http://economia.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1346758&idCanal=57

A ser verdade, esta crise mundial irá fazer nascer, a breve tempo, um sentimento de revolta entre as populações, criando as condições para que as democracias de hoje sejam colocadas em causa.

Por isso, torna-se urgente tomar medidas concretas de modo a reduzir o número de desempregados. Os decisores políticos têm de olhar mais para as pessoas, precisam de traçar o futuro com uma visão do mundo assente nos princípios humanistas. É a única solução.

5 comentários:

Adriana disse...

Um texto tão informativo e preciso. Tomara que muitos o leiam. Abraço, Adriana

Graça Pires disse...

Notícia dramática, esta. São preciso as medidas concretas e muita solidariedade entre as pessoas.
Obrigada pela visita ao meu "Ortografia". Um abraço.

fgiucich disse...

Una verdadera catástrofe. Abrazos.

Alexandro Pestana - www.miradouro.pt disse...

Agora é que eu vejo que os meus pais tem razão.... Já há varios anos diziam... Vai chegar uma altura que quem não souber produzir o que come, vai ter de roubar ou passar fome. Pode ser doutor ou engenheiro, tem de aprender a fazer de tudo ou vai-se lixar... Dá pra pensar na vida...

Ailime disse...

Esta informação é dramática e tendo em conta as notícias quem têm vindo a lume, de que os ricos cada vez estão mais ricos e os pobres cada vez mais pobres, não se vislumbram interesses políticos no sentido de resolver esta situação.
Tomam-se medidas que apenas remendam algumas situações e, para já, não tem havido grande interesse por parte dos humanistas e outros parceiros similares que, em conjunto com o poder económico, poderiam ajudar a criar medidas com vista a minorar esta crise que, no fundo, é de todos!