segunda-feira, 31 de maio de 2010

A democracia em perigo!!

"Apoteose do narcisismo"
"A democracia está a passar por um momento muito perigoso. Não só a crise mundial favorece os extremismos, mas o sucesso chinês revela um modelo alternativo, mostrando que se pode atingir a prosperidade sem liberdade.
As futuras gerações vão ser tentadas a abandonar aquilo que para nós é um consenso evidente. Estes nossos anos podem acabar na História como episódio isolado de uma bela experiência política.
No entanto, o pior ataque ao pluralismo, hoje como sempre, vem de dentro, dos abusos dos democratas. É na sua própria fragilidade que a democracia encontra os maiores perigos".

Por JOÃO CÉSAR DAS NEVES

Médica dentista acusa secretário de favorecimento

A abertura da Semana Sorridente em Câmara de Lobos não correu exactamente como estava prevista e acabou com acusações de favorecimento à nova coordenadora do Programa de Saúde Oral. Dóris Marques, uma das médicas dentistas do programa, interpelou o secretário dos Assuntos Sociais, disse-lhe que estava a mentir e lembrou que os dentistas estão há anos a trabalhar nos centros de saúde.
“O secretário vem dizer que era uma inovação os centros de saúde colaborarem”, referiu a médica dentista. “Os centros de saúde já colaboravam. Não é nada novo. Agora ninguém nos informou o que é que vai acontecer. O que é que nós vamos fazer. Nada é informado”.
A proximidade entre o secretário e a nova coordenadora do programa é uma questão que não passa à margem da questão. "Obviamente que sim", obviamente que houve favorecimento na escolha de Maria do Carmo Silva para o cargo de coordenadora.
Dóris Marques não poupou nas críticas, disse que as mudanças se fizeram pela calada e que não tem dúvidas que, depois do que se passou hoje de manhã em Câmara de Lobos, também ela estará fora do programa. Esse programa ao qual deu tempo por carolice, pois nenhum dos médicos dentistas ganhou nos últimos 14 anos o que Maria do Carmo Silva, familiar próxima do secretário, vai ganhar.
-
Parabéns à dentista dra. Dóris Marques pela sua coragem, frontalidade e sentido de serviço ao bem comum.

MOURINHO - Ao lado de Jorge Valdano, o técnico foi apresentado em Madrid como treinador do Real para os próximos quatro anos.

"Sou o José Mourinho com todas as qualidades e defeitos”
“Sou um treinador com muita auto-estima e auto confiança"
“Não sou um provocador, sou um trabalhador. E quem trabalha assim tanto, ganha respeito. Se temos respeito, perfeito. Se não, tenho que defender o meu grupo. Mas não sou provocador”.

Medidas concretas para reduzir a despesa

Fundir as sociedades de desenvolvimento.
É uma das tónicas dos discursos dos partidos da oposição. A fusão ou até mesmo a extinção da Sociedades permitiram poupar muito dinheiro.
Falência técnica, mordomias dos gestores e criação de sinergias são alguns dos argumentos usados pelos vários partidos da oposição para justificar profundas mexidas nas sociedades de desenvolvimento criadas pelo Governo.
São quatro na Região e há partidos a entenderem que podiam fundir-se numa. Outros defendem que deveriam passar a duas, uma na Madeira, outra no Porto Santo. Mas os mais radicais advogam a extinção pura e simples dessas entidades.
A única certeza que todos dizem partilhar é a de que a fusão ou a extinção permitira poupar milhões de euros aos cofres da Região. É que, advogam, se o dinheiro ainda não sai directamente do erário regional, em breve isso vai passar a acontecer, quando, através dos avales, a Madeira for obrigada a pagar as grandes dívidas daquelas entidades.
Outro dos aspectos, em que os partidos mais apostariam para reduzir despesas, seria na diminuição do número dos assessores e dos conselheiros técnicos. Este aspecto foi muito referido a título ilustrativo de políticas que consideram lesivas do interesse público. Não esteve tanto em causa os montantes a poupar.
Em idêntico sentido, foram referidas as acumulações de reformas com salários. Além dos casos semelhantes aos nacionais, em que um dos vencimentos é pago em apenas um terço, na Madeira há sete pessoas que recebem por inteiro, reforma e ordenado. Todos são políticos.
Ainda a esse nível, foram referidas as mordomias dos gestores públicos, como uma das área a cortar.
-
VER MAIS EM:

Governo do PSD-M não corta nos principais desperdícios

Governo só sabe cortar nas pequenas coisas. Garcês gere um plano de poupança que deixa de fora os maiores desperdícios.
Desde o ano passado que o Governo Regional está a 'apertar o cinto' de forma mais visível, em todos os serviços, com cortes nas admissões de pessoal, nos gastos de material, compra de viaturas e pagamento de serviços externos.
Uma contenção de despesas que foi assumida pelo Executivo e que é coordenada pelo secretário regional do Plano e Finanças. Uma estratégia que, cortando nas pequenas despesas, deixa de fora alguns gastos que há muito são apontados como os maiores desperdícios do Governo.
Os mais de quatro milhões de euros anuais entregues ao Jornal da Madeira, mais de 3,5 milhões para cada um dos clubes profissionais de futebol e alguns pedidos de pareceres jurídicos, quando a administração pública emprega muitas dezenas de advogados, são despesas de milhões que têm uma explicação difícil.
Mesmo com aquelas despesas polémicas, o corte nos gastos existe e é ajudado por outro factor importante: os cofres do GR estão vazios e não há muita possibilidade de esbanjamento. As dívidas a fornecedores, que continuam a aumentar, são o exemplo de que não há dinheiro, nem para pagar o que já estava orçamentado.

Aos amantes do COMUNISMO na MADEIRA...

Acho piada a alguns democratas desta terra!
Se o PCP ataca o PS, de um modo injusto e sem qualquer sentido, se o partido comunista, em vez de atacar quem está no poder da Região, o PSD-M, o único responsável pela situação actual da Madeira, ataca o PS-M, que nunca esteve no poder, é considerado normal, é política, é estratégia, é a aproximação das eleições. Mas quando eu respondo aos ataques do PCP contra o PS-M, quando respondo com a mesma moeda às incoerências do PCP, aí, eu já não sou democrata nem tenho razão. E reagem, quais virgens inocentes, mas os autores são facilmente identificáveis pelos métodos estalinistas que usam.
Podem dizer o que quiserem, podem defender os comunistas à vontade, podem fazer o joguinho do PSD-M e continuar a atacar o PS-M, mas posso garantir que sempre que o PS-M for atacado, estarei na linha da frente para defender o PS-M e mostrar os absurdos do PCP e desmascarar as estratégias obscuras dos comunistas.
Só ataquei o PCP porque o PCP começou a atirar contra o PS-M. Em vez de lutarem contra o PSD-M, lutam contra o PS-M.

PS apoia MANUEL ALEGRE


sábado, 29 de maio de 2010

DIÁRIO - Entrevista com Edgar Silva- MAIS DO MESMO

PCP e PSD-M são farinha do mesmo saco!
A Entrevista do Edgar Silva não traz nada de novo. É mais do mesmo. A novidade reside apenas no desespero demonstrado. Já se aperceberam que correm o risco de desaparecer da Assembleia Legislativa ou de ficarem com um único deputado. No Funchal, conseguiram um vereador por meia dúzia de votos.
O PCP nunca esteve interessado em derrotar o PSD-M. O PCP nunca teve uma estratégia de unir as oposições com o objectivo de derrotar o PSD-M. O que o PCP sempre quis foi caçar votos às oposições para alimentar o seu partido.
Apresentava-se como o mentor de uma possível unidade em volta de um projecto comum às oposições, mas era exactamente o PCP que nunca aceitaria semelhante projecto e tudo fazia para destruir qualquer tentativa, embora surgissem depois como vítimas imaculadas.
O projecto do PCP é o seu projecto de partido único, é o projecto comunista que se serve dos mais desfavorecidos para benefício político-partidário.
Entre o PCP e o PSD-M não há diferença. O PSD aproveita-se dos madeirenses e da bandeira da autonomia para fazer crescer o seu partido e canalizar os milhões e milhões de euros para os seus acólitos, o PCP, aproveita-se da miséria do povo, dos desempregados e de todos aqueles que precisam de ajuda, não para resolver os seus problemas, mas apenas para encher as urnas com os seus votos. Mais nada.
O PCP não tem um projecto alternativo de poder, o único partido com um projecto de poder é o PS e é por isso que o PCP define como seu adversário principal o PS, embora venha dizer que combate o PSD. Com o PSD no poder, o PCP terá sempre alguns votos.
O problema do Edgar e do PCP é que já se aperceberam que o PS está melhor, que o PS vai crescer eleitoralmente e, pior, é que o PS está a entrar no eleitorado do PCP.
No Funchal, o PS está a fazer um trabalho no terreno, de contacto permanente com as populações. O PS está ajudar de verdade a resolver os problemas. O PS não se serve das pessoas, o PS serve as pessoas.
O PS, entre outras formas de actuar, junta as pessoas que têm graves problemas para resolver e leva-as às reuniões de Câmara e da Assembleia Municipal. Estamos a fazer um trabalho que antes era feito apenas pelo PCP, agora o PS já chegou a estes locais da nossa cidade. E as pessoas estão a mostrar que preferem falar com o PS, porque temos um projecto alternativo de poder.
Mas se o PCP sempre combateu o PS de um modo tão violento, como tem acontecido eleição a eleição, não pode esperar que o PS seja solidário com o PCP, se um dia destes os partidos, como o PCP, vierem a precisar da nossa ajuda.
O PS não quer permanecer eternamente na oposição, tal como o PCP, somos um partido com ideias, com projectos, com políticas alternativas e ambição de ser poder na Região.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

MADRID - El galáctico de este año es Mourinho

El Madrid cierra el fichaje de Mourinho por ocho millones.
MOURINHO ya es el nuevo entrenador del Real Madrid después de que Florentino Pérez haya llegado a un acuerdo con Massimo Moratti, presidente del Inter de Milán, para pagar ocho millones por la cláusula del entrenador portugués.
El próximo lunes, a las 13.00 horas, el portugués será presentado en el Bernabéu.
http://www.marca.com/2010/05/27/futbol/equipos/real_madrid/1274954599.html

Sondagem coloca PSD à beira da maioria absoluta

O PSD sob a liderança de Pedro Passos Coelho subiu 13 pontos percentuais em apenas dois meses nas sondagens Bareme para TSF e Diário Económica. A mais recente, divulgada ontem, coloca os sociais-democratas à beira da maioria absoluta e muito longe do PS.
Os questionários foram realizados de 18 a 20 de Maio, já depois do anúncio sobre as medidas de austeridade para combater o défice do Estado.
De acordo com esta sondagem, que inquiriu 804 pessoas com mais de 18 anos residentes em Portugal Continental (ver ficha técnica), se as eleições fossem hoje o PSD recolheria 43,9% dos votos.
Os socialistas mereceram apenas 27,6% das intenções de voto, a 16,3 pontos percentuais dos sociais democratas. De acordo com a TSF, estes resultados estariam perto das eleições de 2005, mas com papéis invertidos: nessa altura, o PS conquistou a maioria absoluta com 45% e a coligação PSD/CDS-PP ficou-se pelos 29%.
Nesta última sondagem o CDS-PP recuperou e encontra-se agora em empate técnico com as outras forças políticas mais pequenas representadas na Assembleia da República. O partido de Paulo Portas foi o preferido de 7,5% dos inquiridos, logo atrás do Bloco de Esquerda, com 7,7%, e à frente da coligação PCP-Os Verdes, indicada por 7,1% das pessoas.
http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1580500
-
O PS tem de saber ler os sinais dos portugueses. O PS não pode ignorar o sentimento dos portugueses neste momento de grande crise nacional.
E os madeirenses não podem esquecer quem é que impediu que o PS ajudasse ainda mais a MADEIRA.
Pedro Passos Coelho e o PSD não permitiram que o primeiro-ministro, eleito pelo PS, suavizasse o PEC na Região. O PSD obrigou o PS a aplicar todas as medidas do PEC na Região sem qualquer sentimento solidário com os madeirenses.

O FUTEBOL à madeirense!!! - "Uma novela ridícula"

Excelente texto do Presidente do grupo parlamentar do PS, André Escórcio.
Ler em:
http://comqueentao.blogspot.com/
FUTEBOL: UMA NOVELA RIDÍCULA

A servidão desportiva tem a natureza de um direito real público de uso de bens privados, destinado a assegurar a utilização pelo público ou por certas categorias de pessoas, das infra-estruturas e equipamentos cuja aquisição ou construção tenha sido objecto de comparticipação financeira pública ao abrigo de contratos-programa de desenvolvimento desportivo.
Esta novela que opõe a cedência do estádio do C. D. Nacional para a realização, para já, de um jogo de futebol da Liga Europa onde o Marítimo se encontra envolvido, demonstra bem o estado a que tudo isto chegou. Um clube, altamente subsidiado com o dinheiro de todos os madeirenses, impõe € 25.000,00 por jogo que venha a ser realizado, para além de uma série de outras restrições.
E vem o governo, no meio da turbulência, resolver o não problema, com a assunção de tais responsabilidades. É como se, talvez mal comparadamente, recebêssemos um "hóspede" em casa e lhe disséssemos que não podia utilizar a sala, a casa de banho, etc. Ridículo.
Esta situação faz-me lembrar, há muitos anos, quando estive ligado à natação, na altura que não havia subsídios, necessitando o meu clube de dinheiro para custear as despesas, fazíamos umas festas, levávamos rissóis e outros cozinhados feitos em casa, naturalmente, e colocávamos à venda.
Depois, íamos à barraquinha comprá-los como qualquer outro. Pagávamos duas vezes. Assim é esta história. A Região (este governo), que tanto alarde faz do futebol veículo promocional (?), paga a construção dos estádios e, depois, mendiga e paga a sua utilização. Paga duas vezes.
Este é um aspecto, mas há outro, que deriva do facto de ter de ser o presidente do governo a resolver os problemas "da bola". Novamente, ridículo. Numa altura de grandes dificuldades financeiras, de séria austeridade, mesmo que simbolicamente, o governo não deveria avançar com um cêntimo.
E mais, esta imposição por parte de um clube que recebe milhões para a sua actividade (mesmo que sobre esses milhões recaiam naturais impostos) deveria, como é óbvio, estar sob a alçada do que apresentei, em 14 de Setembro de 2007, sob a forma de Projecto de Decreto Legislativo Regional, e que foi "chumbado" pelo PSD-M (Estabelece as bases da Actividade Física, do Desporto Educativo Escolar, do Desporto Federado e aprova o regime jurídico de atribuição de comparticipações financeiras ao associativismo desportivo na Região Autónoma da Madeira):
Artigo 66.o
Servidão desportiva
1. A servidão desportiva referida no artigo anterior tem a natureza de um direito real público de uso de bens privados, destinado a assegurar a utilização pelo público ou por certas categorias de pessoas, abstractamente determinadas, das infra-estruturas e equipamentos cuja aquisição ou construção tenha sido objecto de comparticipação financeira pública ao abrigo de contratos-programa de desenvolvimento desportivo.
2. Compete ao instituto público que integra a administração pública regional, o exercício dos poderes de fiscalização e dos procedimentos executivos necessários para assegurar o cumprimento das obrigações correspondentes à servidão desportiva, podendo realizar, para o efeito, inspecções, inquéritos ou sindicâncias.
É assim que as situações devem ser feitas em sede de assinatura dos contratos-programa. Isto não é só receber milhões que tanta falta fazem a outros sectores prioritários e, depois, reivindicar, deselegantemente, um estatuto de natureza privada.

A VERGONHA da MADEIRA! Não há redução de custos na ALM

A Assembleia Legislativa da Madeira não tem de "andar atrelada à Assembleia da República ou à Assembleia Legislativa dos Açores" e por isso não está a preparar medidas de redução de despesas, idênticas às que serão aprovadas em São Bento.
Miguel Mendonça lembra que o parlamento madeirense, um órgão de Governo próprio da Região, tem capacidade para decidir sobre as opções orçamentais e que não tem de "seguir exemplos" de ninguém.
O presidente da ALM não pretende copiar medidas de outras assembleias, sobretudo reduções de despesas puramente simbólicas.
Os cortes nos preços das viagens de avião, que na Assembleia da República deverão passar a ser em classe turística, já se praticam no parlamento madeirense que também opta, sempre, pelos hotéis com preços mais favoráveis.
Mendonça, no entanto, não tem dúvidas de que "não é por aí que se vai repor a saúde das contas públicas do País".
O presidente da Assembleia não exclui a adopção de medidas de contenção, "que já são aplicadas", mas recusa-se a "um certo mimetismo" em relação à AR.Miguel Mendonça recorda que, todos os anos, os orçamentos da Assembleia Legislativa registam reduções nos consumos correntes.

Parlamento corta em viagens, condecorações e publicações e vai adiar obras como sala de fumo

Na República, o Parlamento vai adoptar medidas de contenção nas viagens dos deputados, nos prémios e condecorações, na elaboração de publicações e no adiamento de obras como a construção de uma sala de fumo.
Uma medida positiva. E na Madeira, quando é que a Assembleia Legislativa apresenta uma proposta de redução das suas despesas inúteis?
O que se gasta é uma vergonha sem qualquer sentido.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

É ISSO AÍ

80 MIL EUROS da CMF para a Força Aérea!!!!

As comemorações do 58.º aniversário da Força Aérea portuguesa realizam-se, este ano, na Madeira. É uma iniciativa positiva que movimentará um conjunto significativo de pessoas ligadas a este ramo das forças armadas. Haverá diversas actividades ao longo de alguns dias na Região.
CONTUDO, não posso aceitar que a Câmara Municipal do Funchal assuma um custo de 80 mil euros para subsidiar este evento. Na conjuntura actual considero um erro gravíssimo e uma falta de responsabilidade. NÃO ACEITO. Não acredito que o FUNCHAL rentabilize o investimento de 80 mil euros numa comemoração destas.
Os custos deveriam ser assumidos pela Força Aérea, pelo governo regional ou então, possivelmente, a decisão mais acertada seria adiar para outro ano.
Uma das justificações refere-se ao facto da Força Aérea ter participado nas comemorações dos 500 anos sem qualquer encargo para a autarquia. POUCO MUITO POUCO!!
Numa outra altura até concordaria com este investimento, mas hoje, com as dificuldades financeiras da Câmara do Funchal e da Região não posso aceitar esta atitude.

O curioso é que eu fui o único que, na reunião de Câmara de hoje, votei contra, até a CDU votou a favor, enquanto o PP e o PND preferiram a abstenção.
Há coisas que não percebo!!!!!

Competição europeia fora da Madeira? JOGAR FORA DA MADEIRA??????

Os caprichos de alguns senhores desta nossa Madeira continuam a fazer LEI. Esta guerra entre o Marítimo e o Nacional tem piada dentro de campo e ainda se tolera quando chega às conferências de imprensa ou em jantares comemorativos dos clubes.
Mas alargar estas quesílias ao ponto de impedir que um dos clubes, seja qual for for, possa utilizar o recinto do outro para participar numa prova europeia é uma vergonha, um escândalo.
Se a desculpa dos milhões de euros distribuídos pelo governo PSD era para promover a Madeira, se não jogam na Madeira o quê e quem é que vão promover?
Estes clubes recebem milhões do erário público para sustentar as suas equipas e receberam milhões dos impostos dos madeirenses para construírem os seus estádios.
Hoje é o Nacional a criar estes problemas e amanhã é o Marítimo a fazer a mesma coisa.
Concordo com as exigências de pagarem as despesas de utilização, contudo parece-me que há aqui algum exagero nos valores envolvidos.
Sou NACIONALISTA, mas não concordo com esta atitude do meu clube. Alguém tem de resolver o problema o mais rápido possível. Não envergonhem ainda mais a Madeira.
Espero que alguém resolva esta questão. Esta briga mais parece uma briga entre vizinhas de um qualquer bairro social.

Texto de Jardim plagia relatório da Comissão

A Porto Editora define plágio como "apresentação feita por uma pessoa da obra ou do trabalho de outrem como se fosse seu". A Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira diz que plagiar é "assinar ou apresentar como seu trabalho literário ou científico de outrem". Na Faculdade de Letra da Universidade do Porto o conceito é o seguinte: "Plágio é, por conseguinte, apresentar intencionalmente as ideias, o trabalho e as palavras de outrem sem uma atribuição, clara e desambígua".
O que Jardim escreveu como texto de sua opinião, na passada segunda-feira, no Jornal da Madeira, pode ser sempre considerado plágio, qualquer que seja o conceito que se adopte.
O presidente do Governo e do PSD escreveu sobre 'Os trabalhos da Comissão Paritária mista para a reconstrução da Madeira'. O problema é que o texto pouco mais é do que a utilização de frases (algumas sem alterar qualquer palavra) e parágrafos do 'Relatório Final da Comissão Paritária Mista'.
Um exemplo. Logo no primeiro parágrafo, Jardim escreve: "(...) com a sua intensidade anormal de precipitação provocaram saturação dos solos e consequentes aluimentos de terras e graves inundações (...)". No relatório está escrito: "(...) por uma intensidade anormal de precipitação, que provocou saturação dos solos com consequente aluimento de terras e graves inundações (...)".
Acontece assim em todo o texto, excepto no último parágrafo, em que é feito um agradecimento às entidades que participaram nos trabalhos.
Apenas num parágrafo, o antepenúltimo, o presidente usa aspas, mas esqueceu-se de referir a origem.
Há ainda um 'post-scriptum', que não é plagiado, mas que nada tem a ver com o tema principal.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Serviço público da RTP ameaçado na Madeira

O serviço público de rádio e televisão na Madeira está ameaçado. Porque a RTP não dispõe na Região dos meios humanos e materiais capazes de darem resposta às exigências da Entidade Reguladora para a Comunicação Social, que faz um escrutínio autónomo da Madeira e dos Açores em relação aos demais canais da RTP.
O DIÁRIO apurou que oito meses depois da demissão do antigo responsável - alegando falta de condições e recursos - pouco ou nada mudou, tendo a situação piorado ao nível dos recursos humanos.
Com 14 jornalistas a tempo inteiro na televisão e apenas nove na rádio, a RTP-Madeira não tem condições para garantir o pluralismo que a ERC exige, nem dá resposta às diferentes solicitações da sociedade madeirense.
Em Março o presidente da RTP, Guilherme Costa, garantiu ao DIÁRIO que a empresa admitiria três ou quatro "jornalistas mais experientes", confirmando um plano de investimentos no valor de 3 milhões de euros, com a construção dos estúdios e demais instalações da RDP em Santo António, bem como a aquisição de equipamento diverso.
Dois meses depois da nova equipa ter sido anunciada, pouco ou nada mudou. Aliás só piorou ao nível dos recursos humanos. No caso da rádio, a saída de Gil Rosa para a direcção de canais e antena e não substituição de um jornalista-coordenador falecido deixou a informação sem chefe de serviços, situação que se mantém há mais de um mês. Pese a promessa de Guilherme Costa, a verdade é que o reforço da rádio e televisão será feito com a contratação de apenas um jornalista, já que as duas outras 'caras novas' já trabalhavam para a empresa.
O facto de nos últimos anos o número de jornalistas ter sido reduzido torna a situação insustentável, gerando revolta já que o serviço prestado não é o que os responsáveis e os demais profissionais da RTP-Madeira pretendiam, gerando desconfiança e dúvidas quanto aos critérios e qualidade profissional.
Madeira tem o mais baixo rácio
Um olhar aos indicadores dos recursos humanos da RTP permite concluir que a Madeira é o centro com mais baixo rácio de profissionais ligados à informação, pois dos 158 funcionários, apenas 17% são jornalistas a tempo inteiro, pois 10 dos 37 profissionais referenciados são operadores de imagem.
Um olhar aos Açores (26,2%) e ao Porto (25,9%) - tem 362 funcionários, 94 jornalistas - permite concluir que a Madeira ainda teria margem para admitir jornalistas, até pelas especificidades que um centro regional numa ilha acarreta, o que afinal não vai acontecer. Para mais o Porto nem tem canais regionais de rádio, enquanto a Madeira tem dois.
No caso da RTP-M, a polivalência exigida leva a que os jornalistas sejam realizadores - a informação só tem um - e coordenadores, o que está a originar situações insustentáveis, que não se verificam em mais nenhuma outra canal da empresa. A falta de operadores e de câmaras de reportagem leva a que a agenda de informação não seja cumprida e certos trabalhos sejam inviabilizados.

Governo escolhe 'novata' para coordenar os dentistas

Chama-se Maria do Carmo Silva e é a nova coordenadora do Programa Regional de Promoção de Saúde Oral, sucedendo no cargo a Gil Alves, que, há uma semana, se afastou por discordar de alterações em curso.
O nome foi escolhido pela direcção clínica do Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira E.P.E. (SESARAM) e, apesar de ainda não ter sido divulgado oficialmente, causou estupefacção e até algum mal-estar junto dos médicos-dentistas. Em primeiro lugar, porque não foram tidos nem achados no processo de selecção.
Depois, a escolhida é uma das profissionais mais inexperientes do mercado regional, visto que terminou o curso há menos de dois anos. Por fim, o facto de se tratar de uma pessoa próxima do círculo familiar do secretário da tutela ajudou a ampliar a polémica.

Parque Escolar: BEI disponibiliza 600 ME para financiar modernização de escolas

O Banco Europeu de Investimento (BEI) aprovou o pedido de 600 milhões de euros da Parque Escolar, empresa responsável pelo programa de modernização das escolas secundárias, destinado ao financiamento do projecto Modernização Parque Escolar II.
http://www.publico.pt/Educação/parque-escolar-bei-disponibiliza-600-me-para-financiar-modernizacao-de-escolas_1439071

terça-feira, 25 de maio de 2010

A melhor ANEDOTA de todos os tempos digna de constar do "Guinness World Records"


A Madeira é a região do mundo com "mais pluralismo" - Conclusão de Savino Correia depois de mais de meia hora de intervenção.
Ainda sem ter comentado a situação de concorrência desleal entre empresas de comunicação social, promovida pela injecção de muitos milhões de euros no Jornal da Madeira, o deputado do PSD-M Savino Correia chegou à seguinte conclusão: "Se há Região no Mundo onde há mais pluralismo é na Região Autónoma da Madeira".

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Graça Alves lança livro de “muitas vozes” - “Meu Simão daquela tarde”

A escritora madeirense Graça Alves vai lançar na próxima terça-feira, pelas 18h30, no Pavilhão dos Autores, o livro da sua autoria “Meu Simão daquela tarde”.
Trata-se de «(quase)um romance» como definiu ao nosso Jornal a autora, explicando que sente alguma dificuldade em inserir este texto num género, pois nunca sentiu essa preocupação.
No livro, Graça Alves afirma que tenta responder à pergunta “onde moram as histórias antes de chegarem aos livros?”, justificando que «tento reflectir um bocadinho sobre o acto da escrita, sobre aquilo em que pensam os autores, de que estratégias lançam mão para escrever».
O Simão, continua, é« um poeta que, por razões diversas, precisa (e é uma necessidade) de escrever um romance. A tarde é muitas tardes: umas boas, outras difíceis; umas de alegria, de mares e de companhia, outras de solidão e de noite».
Quanto ao título (Meu Simão daquela tarde), Graça Alves diz que é «uma voz que se ouve ao longo de todo o livro». Aliás, «este é um livro de muitas vozes», considera, adiantando que «este livro que apresenta um pouco aquilo que se passa dentro do escritor, deste Simão que às vezes confunde memória, narrativa e realidade».
Quanto à mensagem, Graça Alves refere que a do “Meu Simão naquela tarde” é que «é preciso libertar-se do que nos oprime e nos impede de ser feliz».Apesar de já ter ganho vários prémios literários (entre os quais, Horácio Bento de Gouveia e Instituto do Vinho), Graça Alves não se considera escritora. «Faz-me impressão quando falam de mim como escritora madeirense.
Gosto de escrever, tenho tido ultimamente alguma projecção mas sei que não sou ninguém. Como leio muito, tenho a noção de que há gente tão boa, que escreve tão bem, que tenho muito caminho para fazer», confessa.
Sem saber situar a altura precisa em que começou o seu gosto pela escrita, a autora revela que sempre gostou de «histórias, de as ouvir, de as ler e de as inventar». «Escrevo desde que comecei a pensar nas coisas. Tinha vergonha de mostrar. Os concursos literários foram uma rampa de lançamento. Comecei a acreditar», conta.

El Niño ou anticiclone dos Açores. Um deles pode dar origem ao ano mais quente de sempre

2010 pode ser o ano mais quente de sempre.
Pode ser o ano mais quente da história. Em 2010 as medições da temperatura da superfície terrestre mostram valores recorde durante os meses de Janeiro e Abril. Os especialistas apontam para que as temperaturas altas sejam uma constante durante os próximos meses, apesar da queda de temperatura e da chuva que é esperada nos próximos dias em Portugal.
Segundo dados da National Oceanic and Atmospheric Administration, a temperatura média global da superfície terrestre e marítima em Abril foi a mais quente já registada, de 14,5 graus, o que corresponde a um aumento de 0,76 graus acima da média.
Apesar de as alterações climáticas registadas nos últimos anos influenciarem significativamente o actual aumento de temperaturas, há outro fenómeno por trás dos valores registados: o El Niño, que se caracteriza pelo aquecimento anómalo das águas superficiais do oceano Pacífico, com efeitos no clima: "O El Niño espalha para a atmosfera o calor acumulado sobre o oceano, dando origem a um mini-aquecimento global nos países perto do Pacífico", explicou ao i Kevin Trenberth, líder da investigação climática da National Center for Atmospheric Research em Colorado.

Campanha contra a pobreza da ONU aberta a concurso de anúncios na Europa

O vencedor receberá um prémio no valor de 5000 euros patrocinado pelo Governo espanhol.
“Dá largas à tua criatividade contra a pobreza” é o tema do concurso de anúncios aberto aos cidadãos e residentes na Europa. A iniciativa visa sensibilizar os europeus no âmbito dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM).
O concurso convida todos aqueles que tenham ideias criativas e determinação em lutar contra a pobreza – desde estudantes a profissionais de publicidade – a participar, apresentando trabalhos impressos de uma página.
As inscrições encerram em Junho e o prémio será anunciado em Setembro antes da Cimeira sobre os ODM convocada pelas Nações Unidas. A iniciativa tem apoio do PÚBLICO.

domingo, 23 de maio de 2010

Erupção do vulcão islandês está parada

O vulcão islandês Eyjafjallajökull, que há mais de um mês perturba o tráfego aéreo na Europa, já não está em erupção, declarou o geofísico islandês Magnus Gudmundsson, citado pela agência noticiosa AFP. No entanto, é ainda demasiado cedo para dizer se a actividade deste vulcão terá verdadeiramente cessado, ou se estaremos só perante uma trégua.
“O que posso confirmar é que cessou a actividade na cratera. Já não há magma a vir à superfície”, disse à AFP o cientista da Universidade da Islândia. “A erupção parou, pelo menos por agora. Da cratera só está a sair fumo”.
Outros cientistas e observadores islandeses confirmaram desta acalmia do vulcão, que aliás nos últimos dias tinha vindo a emitir muito menos cinzas. Mas o Instituto de Meteorologia islandês não arrisca previsões sobre a erupção.
Segundo o site Iceland Review, desde o meio-dia de sábado que a erupção estava a abrandar. Poucos sismos se têm verificado na zona nos últimos dias.
http://www.publico.pt/Mundo/erupcao-do-vulcao-islandes-esta-parada_1438540
-
FINALMENTE...

35 casas para demolir no Funchal

Na sequência dos levantamentos efectuados em consequência do temporal de 20 de Fevereiro, a Câmara Municipal do Funchal vai demolir um conjunto de 35 habitações. O anúncio foi feito, esta manhã, pelo vice-presidente que esteve nas zonas altas de Santo António.
Bruno Pereira referiu que uma parte dos proprietérios já deram anuência para a demolição das casas e outras encontram-se, ainda, em processo de formalização.O processo de demolição já se iniciou nomeadamente no Caminho da Ribeira Grande e Sítio dos Moinhos em Santo António.
De salientar que nos locais considerados de risco não serão licenciadas novas construções, podendo os terrenos ter outro tipo de utilização, nomeadamente a agricultura.As famílias, entretanto, já foram realojadas definitivamente em fogos propriedade da Investimentos Habitacionais da Madeira.
http://www.dnoticias.pt/Default.aspx?file_id=dn01010101220510&id_user=
-
Uma pergunta ingénua: se estas casas foram construídas em zonas de risco, quem foi que as licenciou ou legalizou? Se estas casas têm de ser demolidas é porque não deveriam ter sido construídas naqueles locais, então, a responsabilidade é de quem as autorizou! Ou não é?
Mas, se foram construídas em zonas de risco, quer dizer que, em pleno 2010, ainda não havia uma carta de riscos no Funchal?
E as responsabilidades? Quem as assume?

sábado, 22 de maio de 2010

MOURINHO - UM PORTUGUÊS A VALER...


MOURINHO É UM CAMPEÃO!!!


Entrevista com Paulo Autoguia

Três meses depois do temporal de 20 de Fevereiro, Paulo Autoguia faz um balanço positivo do trabalho realizado. Numa entrevista ao DIÁRIO e à TSF, traça também o retrato dos problemas de habitação que ainda persistem na Madeira.
Alguns deles decorrentes do desemprego e dos crescentes casos de divórcio. Frontal, o presidente da Investimentos Habitacionais da Madeira (IHM) aponta ainda o dedo àqueles que melhoraram de vida e têm possibilidade de sair das casas sociais que ocupam para dar lugar a outros, mas não o fazem.
Diz mesmo que se na Madeira houvesse, a este nível, uma mobilidade de 5% era possível libertar 250 casas por ano, o que resolveria o problema habitacional da Região.
-
Uma entrevista muito interessante, no entanto, faltou referir que o problema da habitação na Região é uma dura realidade, porque o governo regional e as autaquias não assumiram a habitação social como uma prioridade.

Recuperar 'Lavradores' custará 340 mil euros - Candidatura da CMF a programa nacional garante 50% de apoio a fundo perdido

O Mercado dos Lavradores vai para obras. A decisão já estava tomada há algum tempo, mas foi agora dado um passo decisivo para esse objectivo de recuperar um dos maiores patrimónios arquitectónicos e ponto de atracção turística da cidade do Funchal, com a aprovação, ontem, da candidatura ao programa PIT - Programa de Intervenção do Turismo, no valor global de 340 mil euros.
O homologação da candidatura remetida pela Câmara Municipal do Funchal (CMF), foi assinada pelo madeirense Bernardo Trindade, secretário de Estado do Turismo, e confirmada ao DIÁRIO pelo próprio.
"Homologuei uma candidatura ao PIT, linha de Apoio I - requalificação de Infra-estruturas, entregue pela Madeira para a recuperação do Mercado dos Lavradores", conta. "é um investimento que está orçado em 340 mil euros, dos quais o Turismo de Portugal suportará 50% sob a forma de não reembolsável, ou seja a fundo perdido. São cerca de 171 mil euros que será disponibilizada".
Bernardo Trindade lembra que esta é mais uma "manifestação de solidariedade Portugal para com a Madeira, sobretudo num ano como este em que no dia 20 de Fevereiro todas aquelas infra-estruturas foram destruídas". Ora, esclarece o secretário de Estado do Turismo que a candidatura foi remetida pela Câmara Municipal do Funchal que, prontamente, o Governo da República de parecer favorável.
-
Mais uma ajuda do GOVERNO DO PS. PS SOLIDÁRIO COM A MADEIRA.
Para ajudar a recuperar o mercado dos Lavradores o GOVERNO do PS vai disponibilizar 171 mil euros.

Suspensão do IRS irrita municípios da Madeira ?????? - Não percebi!!

A incerteza quanto à transferências dos 5% de IRS para as autarquias das regiões autónomas lançou uma verdadeira 'onda' de nervosismo entre os autarcas madeirenses.
Declaramente, Roberto Silva, presidente da Associação de Municípios da Região Autónoma da Madeira (AMRAM), é o primeiro a assumir irritação, perante um "malabarismo" que volta a empurrar as câmaras das ilhas para a "segunda categoria".
Em rota de colisão com o optimismo manifestado, ontem, pelo secretário regional do Plano e Finanças, o autarca porto-santense lembra que a verba está prevista numa lei nacional válida para os 308 municípios portugueses e não pode o governo discriminar, como fez em 2009, as câmaras dos arquipélagos.
-
Não percebi esta NOTÍCIA. Então, o Governo da República do PS, durante esta última semana, transferiu 3,4 milhões do IRS para as Câmaras Municipais das regiões autónomas, relativo aos primeiros cinco duodécimos de 2010 (até Maio, inclusive). E mal as câmaras receberam o dinheiro já estão a reclamar o próximo??
E o mais grave é que o Governo da república do PS queria retirar a Madeira das medidas de austeridade e foi o PSD que não deixou. Apesar das dificuldades acrescidas da Madeira, o PSD exigiu que a Região fosse abrangida pelas medidas nacionais.
Isto é trair a MADEIRA e os MADEIRENSES. Mas para desviar as atenções começam agora a atirar de novo contra o governo da República.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Mourinho deve assinar por três anos com o Real

José Mourinho deverá assinar um contrato de três temporadas com o Real Madrid e ganhará 10 milhões de euros por ano.
A "Marca" publica esta sexta-feira que a direção do clube madrileno tem um acordo verbal com Jorge Mendes, agente do treinador português.
O artigo do diário desportivo espanhol avança ainda que Mourinho irá perder seis milhões de euros, dois por cada temporada, por ter recusado renovar com o Inter Milão, que oferecia 12 milhões/ano.
http://www.record.xl.pt/noticia.aspx?id=186c1bee-dd8f-4f39-ac03-37bd592f8550&idCanal=00000292-0000-0000-0000-000000000292&h=1

Encontros marcados via Facebook - multidões embriagadas

Os encontros para beber um copo são marcados via Facebook. Num dos últimos, em que apareceram 10 mil pessoas, morreu um jovem de 21 anos.
Milhares de jovens franceses juntam-se em encontros promovidos na rede social Facebook num fenómeno nacional que está a colocar um desafio às autoridades francesas.
A morte de um jovem, na semana passada, deixou a polícia em alerta e os políticos a debruçarem-se sobre o assunto. Ontem, o ministro francês do Interior, Brice Hortefeux, anunciou medidas contra as enormes reuniões ao ir livre, mas recusou-se a proibir os encontros.
A tendência dos "aperitivos gigantes" (apéros géants ou apéros Facebook) começou já há vários meses. O primeiro encontro ocorreu em Nantes no final do ano passado, com dezenas de pessoas.
Mas as festas de rua regadas com enormes quantidades de álcool começaram a tornar-se cada vez mais concorridas e atraem milhares de pessoas e começou a ver-se uma certa concorrência: cada cidade quer ter um apéros maior do que a anterior. "Estamos aqui para bater o recorde do maior aperitivo", dizia um grupo de adolescentes em Nantes ao jornal Le Parisien.
Tudo começa com um aviso que é colocado anonimamente no Facebook - um dos organizadores de um destes encontros gigantes -lo sob pseudónimo de "Alain Cognito" - para uma festa numa dada cidade.
-
O fenómeno do FACEBOOK é impressionante. Estas novas redes sociais têm imensos aspectos positivos. No entanto, como tudo na VIDA, se os frequentadores destas redes não têm capacidade para distinguir o certo do errado, se não possuem massa crítica, correm bastantes riscos desnecessários e de consequências imprevisíveis.

Nasceu a primeira forma de vida artificial

Uma bactéria, comandada por uma molécula de ADN sintético, conseguiu reproduzir-se da forma mais natural. O resultado, publicado na revista Science, tem aplicações e implicações – científicas e filosóficas – ainda em grande parte desconhecidas

quinta-feira, 20 de maio de 2010

O Estado mitómano, por MANUEL MARIA CARRILHO

Vivemos numa época que tende a folhetinizar tudo - acontecimentos, crises, vidas públicas, catástrofes, aventuras privadas. O folhetim tornou-se talvez mesmo na única versão da história que a época comporta - de anteontem até depois de amanhã, e o esforço já é grande.
Uma das áreas em que esta folhetinização tem consequências mais nefastas é na da informação. Ela destrói a informação, que fica reduzida a uns pontos de actualidade no meio do fluxo folhetinesco: sem tempo e sem contextualização sobre o que acontece, tudo se reduz a protagonismos, conflitos e fait-divers.
-
LER artigo em:
http://dn.sapo.pt/inicio/opiniao/interior.aspx?content_id=1574019&seccao=Manuel

Uma supernova diferente e rica em cálcio



Equipa internacional registou uma explosão estelar que nunca antes tinha sido observada e pode envolver duas estrelas
O material lançado pela explosão parece menos substancial do que deveria ser, a sua química não bate certo com a observada noutros fenómenos do mesmo tipo e até a sua localização, distante de quaisquer "ninhos" de estrelas, foi uma surpresa. Feitas as contas, a equipa de astrónomos que observou o fenómeno, em 2005, não teve dúvidas: "Este é um novo tipo de surpernova [explosão de uma estrela]", segundo um dos coordenadores da equipa, Hagai Perets, do Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics. O artigo é publicado hoje na revista Nature.
Conheciam-se até agora dois tipos de supernovas. Uma relacionada com a explosão de estrelas jovens gigantes que colapsam sob o seu próprio peso. A outra diz respeito ao fim de estrelas já gastas, as anãs brancas, que explodem no fim da vida, como acontecerá um dia com o Sol. Neste tipo de supernova, os materiais ejectados são sobretudo carbono e oxigénio. Ao dispersarem estes materiais pelo espaço interestelar, as supernovas enriquecem o universo onde outras estrelas se formarão.
Agora a equipa de Hagai Perets e Avishay Gal-Yam, do Instituto Wiezmann, em Israel, anuncia um terceiro tipo de supernova, com níveis anormalmente altos de cálcio e titânio, elementos que resultam de reacção nuclear envolvendo hélio, em vez de carbono e oxigénio. "Nunca tínhamos visto um espectro como este", adiantou Paolo Mazzali, outro dos autores.
Esta supernova, que os cientistas baptizaram como SN2005E, foi observada em Janeiro de 2005 na galáxia NGC 1032, a 110 anos--luz da Terra e, de acordo com Avishay Gal-Yam, tornou-se claro para equipa "que a composição química particular desta explosão detinha uma importante chave para sua compreensão".
De onde vinha aquele hélio? As simulações feitas pela equipa apontam para que "esteja envolvido um par de anãs brancas, em que uma rouba hélio à outra, e quando o nível deste elemento aumenta para lá de um certo ponto na 'ladra', ocorre a explosão", explica o investigador israelita, notando que "provavelmente a estrela dadora morre durante o processo, embora não se saiba exactamente o que acontece com a outra".
Mais de metade do material ejectado por aquela supernova era cálcio. De acordo com os investigadores, uma única explosão deste tipo em cada século seria suficiente para produzir o cálcio detectado em galáxias como a Via Láctea e presentes nos organismos vivos da Terra.

André Villas-Boas é o novo treinador do FC Porto

Está encontrado o sucessor de Jesualdo Ferreira à frente dos "dragões". Aos 33 anos, Villas-Boas regressa a uma casa onde já trabalhou integrado na equipa de José Mourinho.
Acabou a era de Jesualdo no FC Porto. Depois de uma época menos conseguida, em que o triunfo na Taça de Portugal acabou por saber a pouco, os dirigentes "azuis-e-brancos" apressaram-se a encontrar uma alternativa.
-
Considero o Villas-Boas um bom treinador. Uma excelente aposta do FC Porto, mas o novo treinador terá um grande problema para resolver é que o BENFICA vai continuar a ganhar os campeonatos.
O grande BENFICA tem um treinador melhor e terá uma melhor equipa.

PSD CONTRA A MADEIRA

O presidente do Governo Regional está indignado com a postura do seu partido em relação à Madeira. Em causa está o facto de o plano de austeridade anunciado por José Sócrates para baixar o défice deixar inicialmente de fora as Regiões Autónomas, medida que terá sido contestada pelos social-democratas (Passos Coelho negociou o plano com o primeiro-ministro) por promoverem injustiça social.
Alberto João Jardim, que não tem poupado nas críticas ao presidente do PSD, queixou-se na comissão política regional de terça-feira, e atribui este esforço exigido à Madeira a Fernando Ruas, presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) e presidente da Mesa do Congresso do PSD.
Nas hostes laranjas madeirenses consta que terá sido Fernando Ruas a convencer Passos Coelho a exigir a Sócrates que o plano de austeridade não deixasse ninguém de fora. "Não se entende esta incompreensão relativamente aos custos de insularidade que as Regiões têm", terá lamentado Jardim.
-
A ser verdade, o PSD está contra a Madeira e os madeirenses. O GOVERNO do PS queria ajudar a MADEIRA e os madeirenses e o PSD não deixou.
Então, que poder negocial e de pressão têm os deputados do PSD-M a nível nacional? O que valem dentro do PSD? NADA!!
Afinal não contam para nada. E é este senhor PASSOS COELHO que querem para governar o país? A MADEIRA seria a primeira a ser prejudicada.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

John Williams - Concierto de Aranjuez 2nd Mov. Adagio

Bancos fecharam a torneira ao Governo Regional

Os bancos deixaram de aceitar pagar ou adiantar dinheiro a empresas fornecedoras do Governo Regional e demais entidades públicas da Madeira. Porque os valores que a Região tem em dívida são astronómicos e colocam em risco os bancos.
De acordo com a informação que recolhemos, nos últimos sete anos a economia regional dependeu, sobretudo, de relação de confiança entre os bancos e o Governo Regional, que permitia que a maioria das empresas recorresse ao 'factoring' para saldar dívidas que a administração pública não conseguia resolver.
Na prática, as empresa entregavam no banco as facturas dos serviços que prestavam, ou dos bens e produtos vendidos, para as instituições financeiras se substituírem ao Governo Regional, no pagamento dentro do prazo contratualizado.
-
O governo regional andou, anos e anos, a esbanjar, a desperdiçar e a desbaratar os dinheiros públicos. Gastou sem rigor, sem critérios e sem planeamento.
As consequências estão à vista. Endividamento brutal e os bancos a não darem crédito a este governo PSD demasiado irresponsável.

terça-feira, 18 de maio de 2010

FERNANDO PESSOA

Cheio de Deus não temo o que virá. Pois venha o que vier, nunca será maior do que a minha alma.", Pessoa citado por Sócrates no final da entrevista.
-
Li no Blogue bastaqsim, AQUI:

GOVERNO DO PS MANDA MAIS DINHEIRO PARA A MADEIRA

1 - O Governo da República do PS enviou 3,4 milhões do IRS para as Câmaras.
2 - A denominada "Lei de Meios" formaliza o acordo entre os governos regional e central, anunciado no decorrer a visita que o primeiro ministro José Sócrates efectuou à Madeira a 19 de Abril, no âmbito da qual o Estado assume responsabilidades na ordem dos 740 milhões de euros, verbas a transferir até 2013.
O executivo madeirense, juntamente com donativos privados e seguradoras, suporta 309 milhões, havendo ainda uma candidatura de 31 milhões de euros do Fundo de Solidariedade da União Europeia.

3,4 milhões do IRS são pagos hoje às câmaras

Após as bem sucedidas acções de sensibilização em Lisboa, que culminaram com a inclusão no Orçamento de Estado para 2010, as onze câmaras da Madeira recebem hoje a primeira transferência dos 5% de IRS a que têm direito.
Para já, o valor transferido ontem para os cofres do Governo Regional ascende a quase 3,4 milhões de euros e é relativo aos primeiros cinco duodécimos de 2010 (até Maio, inclusive).
Hoje o dinheiro chegará à conta de cada autarquia, no montante que compete a cada uma delas. É o culminar de uma dura discussão com Lisboa, após o governo central ter suspendido às câmaras das Regiões Autónomas, em 2009, a transferência de 5% do IRS que lhes cabe.
IRS municípios - Até Maio
Funchal 2.247.370,00
Santa Cruz 494.010,00
Porto Santo 140.390,00
Machico 131.900,00
Câmara de Lobos 118.980,00
Calheta 75.970,00
Ribeira Brava 70.775,00
Ponta do Sol 43.145,00
Santana 34.010,00
São Vicente 27.870,00
Porto Moniz 10.895,00
TOTAL Madeira 3.395.315,00.

http://www.dnoticias.pt/default.aspx?file_id=dn04010106180510

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Marcelo Rebelo de Sousa desconhece o valor das AUTONOMIAS.

Marcelo Rebelo de Sousa acabou de dizer, no programa "Sinais de Fogo" de Miguel Sousa Tavares, que "as Regiões Autónomas são grandes Autarquias Locais e o dr. Alberto João é o líder de uma grande Autarquia Local."

Madeira manifesta-se contra Sócrates

Os principais sindicatos da Madeira, nomeadamente aqueles que se encontram filiados na CGTP-IN, vão marcar presença na grande manifestação nacional, agendada para o próximo dia 29 de Maio, em Lisboa. Uma concentração convocada por aquela estrutura sindical, em protesto para com as medidas de austeridade acordadas entre o Governo da República e o PSD de Pedro Passos Coelho.
O dirigente da USAM Pedro Carvalho confirma que a grande maioria dos sindicatos vinculados à CGTP-IN "estão a envidar esforços para estarem representados na manifestação", mesmo sabendo-se que alguns deles, por razões de natureza financeira, terão forçosamente de reduzir as suas representações. É que, vinca o sindicalista, "a precariedade também se faz sentir nos sindicatos".
Pedro Carvalho realça, todavia, a grande importância de todos os sindicatos, na medida das suas possibilidades, "se mobilizarem neste protesto de rua", por forma a que se faça sentir "a preocupação dos portugueses em relação ao aumento dos impostos". Que, reforça, vêm afectar sobretudo "os trabalhadores precários", que são "os que menos ganham e os que precisam de mais ajuda".
De acordo com as informações de que dispõe a USAM, os professores, os enfermeiros, os profissionais da hotelaria e restauração, os funcionários da administração local, entre outros sindicatos madeirenses, vão ter representantes na manifestação agendada para a Avenida da Liberdade, em Lisboa.
O Sindicatos dos Enfermeiros da Madeira, por exemplo, vai fazer-se representar por uma delegação composta por três dirigentes, como confirma o seu presidente. Juan Carvalho considera que o momento que o país atravessa "justifica uma mobilização de todos os sindicatos", por forma a "contrapor a esta ofensiva anunciada pelo Governo".
-
Então precisam de se deslocar a Lisboa para protestar? Mas não estamos numa Região Autónoma? Então, o Governo Regional, se quisesse, não poderia adaptar as leis nacionais de modo a não prejudicar tantos os trabalhadores DE CÁ? Naturalmente que poderia, mas este governo não está interessado em apoiar os trabalhadores madeirenses.
E, na verdade, é muito fino e chique ir a Lisboa participar numa manifestação. NA MADEIRA É QUE NÃO! MANIFESTAÇÕES NA MADEIRA NEM PENSAR, TUDO PARA LISBOA.
Os trabalhadores pagam. Não há problema!!

domingo, 16 de maio de 2010

Inter de Mourinho é campeão e faz a dobradinha


José Mourinho conquistou o campeonato italiano, pela segunda vez consecutiva, ao bater o Siena, por 1-0. Milito foi o homem que tornou o sonho realidade, ao marcar o único golo da partida.
«Lo Speciale» fez a dobradinha, já que conquistou também a Taça de Itália. Resta agora saber se conseguirá o «triplete». Para isso terá de vencer a final da Liga dos Campeões, frente ao Bayern Munique.

Apoios do Governo às autarquias ascendem aos 32,7 m€; contratos assinados amanhã

Conhecidas as críticas da oposição e as queixas de algumas autarquias relativamente à falta de meios para a execução de obras consideradas prioritárias, as câmaras madeirenses vão finalmente assinar, amanhã, os contratos-programa para este ano.
Num montante global de 32,7 milhões de euros, o Funchal leva 19% da verba destinada à execução de obras nos concelhos regionais.
Os montantes acordados concedem à capital da Madeira 6,2 milhões de euros. Já Câmara de Lobos leva 5,5 milhões de euros. O concelho liderado por Arlindo Gomes tem denunciado grandes dificuldades na execução de obras, mesmo as prioritárias como o saneamento básico, e aguardava com forte expectativa pelos apoios do Governo Regional.
No 'ranking' dos municípios que mais ajudas vão receber, segue-se a Ribeira Brava, com 4,7 milhões de euros. Ismael Fernandes, presidente da Câmara local, não comenta a verba, limitando-se a dizer que foi o valor acordado, no ano passado, em reunião com o Executivo. Bem menos, recebe a Câmara de Manuel Baeta.
A Câmara Municipal da Calheta vai assinar, amanhã, um contrato-programa no valor de 893 mil euros. Para este ano, Santa Cruz vai poder contar com uma verba governamental da ordem dos 4,5 milhões de euros. Machico recebe 3 milhões e o Porto Moniz 2,4 milhões de euros.
Numa altura em que as autarquias ainda não sabem quais vão ser as ajudas do temporal e em tempo de forte rigidez financeiras, os municípios dispõem, a partir de amanhã, de mais algumas verbas para fazerem face aos investimentos previstos.
No caso do Porto Santo, as ajudas são de 1,5 milhões de euros. A Ponta do Sol recebe, este ano, 1 milhão de euros. Santana e São Vicente vão beneficiar de 1,2 e 1,4 milhões de euros, respectivamente.
-
Estes contratos-programa referem-se a obras acordadas no ano passado. Nada tem a ver com o temporal de 20 de Fevereiro. A questão que se coloca é se houve reprogramação das obras, se houve uma definição de novas prioridades.
Não nos podemos esquecer de que o governo regional deve milhões de euros às câmaras de contratos-programa anteriores.
Por exemplo, no Funchal, o GR deve ainda cerca de 3 milhões. Na Ponta do Sol, cerca de 5 milhões, Machico cerca de 3 milhões. O mesmo acontece nos restantes municípios. Ora, se ainda não pagou os valores dos contratos-programa anteriores como é que vai pagar os de este ano?
Mais cinza para esconder a verdade? Quem é que querem enganar de novo?

sábado, 15 de maio de 2010

BENFICA CAMPEÃO

Trichet diz que Europa está a viver a pior crise desde a Segunda Guerra

Jean-Claude Trichet, que diz que a Europa está a viver a sua pior crise desde a Segunda Guerra Mundial, defende medidas que assegurem que os Governo da eurolândia vão manter as suas finanças públicas sob controlo.
Para Trichet, a responsabilidade pela agitação que conduziu o euro ao mais baixo nível em ano e meio (1,2358 dólares) não pode ser atribuída aos mercados onde se formam os câmbios.
Deve ser colocada nos governos que deixaram que os seus défices crescessem em desvario. A crise actual “não tem nada a ver com ataques especulativos. Tem a ver com as finanças públicas e, portanto, com a estabilidade financeira da zona euro.
A responsabilidade dos europeus é tomar medidas que contrariem as actuais tensões nos mercados”, defendeu o homem que comanda a política monetária no espaço da moeda única.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

ENSAIO - Bento XVI, Pessoa e a fome de beleza

Um Ensaio do Tolentino Mendonça, simplesmente, fabuloso. É um texto para ler, reler e pensar sobre a beleza da palavra e a profundidade das ideias. por José Tolentino Mendonça, Publicado em 12 de Maio de 2010
-
A poesia como diagnóstico espiritual
-
A poesia de Pessoa é um diagnóstico espiritual impressionantemente certeiro da Modernidade. A essência da cultura moderna não determinou, ao contrário do que se diz, a ausência do sentimento religioso ou da metafísica, da ética ou da estética. O que define a Modernidade mais do que o vazio é o excesso.
As antigas esferas subsistem, aquilo que funda a certeza ou a crença permanece. Mas sob um regime novo: o de uma radical autonomização que confere à cultura e ao homem um perfil estilhaçado. A partir de agora somos fragmentos de uma unidade perdida, dispersão incontrolável, orfandade e ficção
-
Ler o Ensaio em:
http://www.ionline.pt/conteudo/59463-bento-xvi-pessoa-e-fome-beleza

FALECEU SALDANHA SANCHES

O fiscalista Saldanha Sanches morreu aos 66 anos, vítima de cancro, no Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

Desfazendo mitos: aumento de impostos ou corte na despesa: quanto cresce a despesa em Portugal em percentagem do PIB?

Li no Basta Que Sim:
Aumento de despesas durante os vários Governos:
-
Governos de Sócrates: 0,14%
Governos de António Guterres: 0,31
Governos de Cavaco Silva: O,32
Governos de Durão/Santana: 0,48
-
Única Governação que diminui a despesas em termos do PIB:
a de José Sócrates, de 21,5% para 21% até o final de 2008.

Cortes vão afectar mais os bolsos dos portugueses do que o previsto

Mais portugueses serão afectados pelo imposto extraordinário de IRS além dos que o Governo começou por anunciar. O Ministério das Finanças não quis comentar essa questão.
Na versão ventilada anteontem, só os rendimentos acima de cinco salários mínimos nacionais - 2375 euros - sofreriam um corte mensal de 1,5 por cento do seu rendimento bruto. Abaixo dos 2375 euros e até um SMN (475 euros em 2010), o corte seria de 1 por cento.
Mas ontem, o Governo anunciou outros limiares, mais rigorosos.O limiar de agravamento para 1,5 por cento passou a ser o 3º escalão do IRS, ou seja, 1285 euros mensais. Ora, de acordo com as estatísticas de IRS mais recentes (2006), a alteração passou a abranger possivelmente mais 200 mil agregados familiares.
Os agregados familiares acima do 3º escalão representavam cerca de 15 por cento dos contribuintes, mas pagavam quase quatro quintos da receita de IRS. Já entre o salário mínimo nacional - rendimento abaixo do qual não se será tributado - e o terceiro escalão do IRS estavam 25 por cento dos contribuintes, mas apenas 20 por cento da receita.
De fora ficariam mais de metade dos contribuintes que pouco contribuiam para a receita do IRS. Ou seja, os aumentos de IRS vão incidir sobre 40 por cento dos contribuintes, mas o aumento da 1,5 pontos percentuais no IRS incidirá sobre 80 por cento da receita. Os cortes vão começar a ser sentidos logo que o Parlamento aprove os aumentos extraordinários e que as novas tabelas de retenção na fonte sejam publicadas no jornal oficial.
O Governo espera aplicá-las em Julho e prolongar-se-ão até ao final de 2011. Mas desconhece-se quase tudo. Será que o acerto de contas, que habitualmente é feito no ano seguinte, vai contar com a totalidade dos rendimentos recebidos em 2010, mesmo os recebidos entre Janeiro e Junho? Ou manter-se-á a aplicação apenas aos primeiros seis meses do ano? Esta foi apenas uma das muitas dúvidas colocadas ontem ao Ministério das Finanças e que ficaram sem resposta.
O Governo optou por uma conferência de imprensa, após o Conselho de Ministros, em que não foi permitido aos jornalistas - à excepção dos três canais televisivos - fazer perguntas sobre o pacote de medidas acabadas de aprovar, de reforço do Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC). Este reforço visa baixar o défice orçamental já em 2010 dos 8,3 por cento do PIB, inicialmente previstos, para 7 por cento.
Mesmo além do prometido aos líderes europeus, no passado fim de semana (7,3 por cento). Desconhece-se, por exemplo, qual a receita deste imposto extraordinário em IRS, embora se saiba que o "bolo" global renderá mil milhões de euros. O PÚBLICO pediu a previsão de receita desagregada por categorias de IRS, mas não obteve resposta. A estimativa do PÚBLICO, com base nos descontos salariais para a Segurança Social no final de 2009, é a de que rondará os 200 milhões em seis meses. Mas há que acrescentar ainda o corte nos rendimentos dos pensionistas.
Assalariados e pensionistas pagam quatro quintos do IRS. Depois, desconhece-se igualmente o impacto global do aumento de um ponto percentual nas três taxas de IVA. O aumento deverá repercutir-se numa subida geral de preços e - à semelhança do passado - superiores ao aumento do IVA, beneficiando as margens das empresas retalhistas e penalizando sobretudo quem tenha baixos rendimentos.
Já o Estado deverá arrecadar cerca de 500 milhões de euros num ano (250 milhões em seis meses) com o aumento do IVA e ainda mais uns milhões com uma sobretaxa sobre o endividamento (imposto de selo,cuja a taxa se desconhece ainda). Mas há também dúvidas sobre o impacto recessivo na procura interna de um aumento de impostos e dos preços ao consumo, quando Portugal apresentou - como frisou o primeiro-ministro - o maior aumento do PIB na União Europeia.
José Sócrates responde a essa questão que estes aumentos "foram pensados como tendo o menor efeito recessivo".
De fora do pacote, ficaram as pequenas e médias empresas. O agravamento de 2,5 pontos percentuais na taxa de IRC não lhes tocará. O Governo afirmou ser para lhes "dar condições de recuperarem" da crise. Mas na realidade, as PME já quase não contribuem para a receita de IRC (ver texto). Mas desconhece-se se esse aumento será sentido só em 2011 ou se vai haver um pagamento por conta que permita a arrecadação já em 2010.
Governo agravou ainda as taxas liberatórias que incidem sobre rendimentos de capitais, nomeadamente juros de depósitos, rendimentos de títulos, e as mais-valias mobiliárias (de 20 para 21,5 por cento). Mas o Ministério das Finanças não disponibilizou informação sobre o seu impacto.