sábado, 13 de setembro de 2008

Média de espectadores por jogo de futebol

Uma das responsabilidades das equipas de futebol é conseguirem atrair espectadores, mas para isso, os espectáculos oferecidos têm de ter qualidade e não rondar a mediocridade nem a excessiva falta de nível competitivo como temos assistido.
Apesar do cenário pouco agradável da grande maioria dos jogos de futebol, o público nas bancadas tem aumentado, a tal ponto que 2007/08 bateu recordes. Pela primeira vez, a média de espectadores, por encontro, ultrapassou os 11 mil. A meu ver, continua numa média demasiado baixa.

Se nos compararmos aos grandes do futebol europeu, percebemos a nossa pequenez. Em termos de assistências médias por jogo, a liga alemã ocupa o primeiro lugar com 40 mil espectadores. A Premier League apresenta 35 mil espectadores. A liga espanhola tem uma média de 30 mil e a italiana 25 mil espectadores por jogo.
No que se refere a Clubes, o Real Madrid regista uma média de 76.200 espectadores por jogo, o Manchester United 75.690 e o Borussia de Dortmund com 72.500.
Na Madeira, onde residem cerca de 250 mil habitantes, os dois maiores clubes, Marítimo e Nacional, ambos na primeira divisão, cada um com o seu Estádio, têm uma assistência média de: Marítimo 5000 e Nacional 1500.

6 comentários:

perdida disse...

Venho agradecer a passagem pelo meu blog =)

Antunes Ferreira disse...

Olá Rui!

Então o nosso e vosso CR7 já tem a bota de ouro recebida e devidamente guardada? Oxalá que sim. Que pena: o AJJ não esteve na entrega... Fica para a próxima - bota, está visto...

Há um novo concurso no Travessa do Ferreira – www.travessadoferreira.blogspot.com . Até às 24:00 de quarta-feira, 17.
Com prémios, como habitualmente. Concorre! Ainda vais a tempo!!! Espero a tua visita. Pode ser que seja desta vez...

pvnam disse...

«........mini-spam........»
Separatismo na Europa

---> IOL, Portugal Diário, 11-09-2008: «Mortes superaram nascimentos em Portugal...»
---> Vasco Pulido Valente, Jornal Público, 12-09-2008: «Apesar de um ou outro protesto melancólico ou corporativo, o público já não se interessa pelo seu futuro (ou pelo seu presente) colectivo...»
---> ...etc...

---> Um povo sem um projecto de Luta pela Sobrevivência, é um povo de BANDALHOS NO PLANETA.

---> Não sejam um bando de imbecis! Ou seja: não percam tempo com BANDALHOS (vulgo Bandalhos Brancos: a maioria dos europeus)!

---> Há que mobilizar aquela minoria de europeus que está disponível para abraçar um projecto de Luta pela Sobrevivência! Ou seja:
-> Contra a (cada vez mais poderosa) Inquisição Mestiça;
-> [antes que seja tarde demais] É urgente reivindicar o legítimo Direito ao Separatismo:
http://separatismo–50–50.blogspot.com/




P.S.
-> Os Bandalhos Brancos são uns Bandalhos Intolerantes: como NUNCA conseguiram construir uma sociedade sustentável sem ser à custa da repressão dos direitos das mulheres (mulheres tratadas com úteros ambulantes), hoje em dia, como seria de esperar, os Bandalhos Brancos pretendem infiltrar-se no seio de outros povos [procuram infiltrar-se em qualquer lado]: quer importando outros povos para a Europa... quer deslocando-se para o território de outros povos...... consequentemente... os Bandalhos Brancos são INTOLERANTES para com a existência de Reservas Naturais de Povos Nativos!...

P.S.2
---> Para os Bandalhos Brancos, «os pretos são os salvadores da pátria»: de facto, como os pretos(...) pretendem ocupar e dominar cada vez mais territórios, consequentemente os Bandalhos Brancos estão a contar com os pretos(...) para combater o SEPARATISMO.
{{{nota: É possível encontrar portugueses brancos receptivos à ideia do Separatismo-50-50, pelo contrário, os portugueses negros(...) (e os mestiços também) são uns ferozes opositores do Separatismo-50-50}}}

Luciana disse...

Olá!

Obrigada pela visita no meu blog, eu particularmente adoro os 3 filmes, mas cada um tem o seu gosto e respeito isso, mas valeu mesmo assim o comentário.

Abraços e uma boa semana!

il _messaggero disse...

Caro Rui,


Existe um estudo datado de 2006 (se não estou em erro) que aborda precisamente este paradoxo. Somos dos países que maior nível de interesse e conhecimento pelo fenómeno - basta ver o facto de termos 3 jornais diários desportivos totalmente dedicados ao futebol (apenas ultrapassado pela Grécia que tem 9!?!) - mas pelo contrário apresentamos baixíssimos níveis de taxa de ocupação nos estádios.
Creio que há três factores que influenciam em parte este paradoxo:
- a predominância de 3 clubes sobre os demais restantes, com todas dificuldades que daí advêm a nível económico e desportivo - esta ausência de identificação com os demais provoca um grande desnível face aos "grandes";
- a ditadura da TV que veio alterar os hábitos de visualização do fenómeno - por exemplo, o facto de termos cerca de 5 jogos por semana televisionados, faz com que as novas gerações tenham vindo a perder a tradição de ir aos estádios com familiares (autêntico ritual de iniciação pelo qual a maioria de nós passou), sendo que é documentado que muitos dos inquiridos jovens mostram um total desconhecimento sobre o ambiente vivido num estádio de futebol, pese tenham uma grande cultura futebolística e sigam o fenómeno. Isto numa outra análise faz com que estas actuais gerações, adoptem como clubes de eleições, não os clubes locais ou mesmos nacionais, mas comecem a adoptar clubes internacionais de outros campeonatos cujos jogos são televisionados semana após semana;
- o tamanho do mercado e a relação preço/qualidade do espectáculo que é visto: para um país como Portugal, onde quase cerca de 1/2 da população ganha menos de 600€/mensais, bilhetes com uma média de 20€ (vide relatórios Deloitte/A Bola sobre esta temática) para um espectáculo de 1h30m é algo elevado. Considere-se então uma família de 4 e é ver esse valor disparar. Face à esmagadora maioria dos espectáculos apresentados - quem segue/apoia equipas que não as 3 grandes sabem o que estou a falar - então ficamos com a noção do enorme esforço que tal representa.

Ainda assim, somos dos países que curiosamente tem uma grande nº de sócios filiados, em relação à população total do país, nos demais clubes - estima-se que mais de 500.000 portugueses sejam sócios de algum clube desportivo.

Portanto, creio que os elevados preços praticados/face à qualidade apresentada + desnível existente entre 3 "grandes" face aos restantes clubes + ditadura mediática da TV em detrimento de um devido incentivo à ida de pessoas aos estádio (basta ver o números de dias pelos quais se arrastam uma jornada em Portugal devido à exigência de transmissões, o verdadeiro garante financeiro de muitos clubes) e teremos então uma possível explicação para tal facto.

Abraço (já agora verde-rubro ;)

nelio de sousa disse...

Ajude a protegar o Rabaçal