segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Quercus denuncia atentado ambiental em Santana

Há dias, a Quercus acusou a Câmara Municipal de Santana de manter uma lixeira junto à ribeira dos Arcos. A associação ambiental refere que parte dos resíduos depositados acabam queimados a céu aberto, um procedimento proibido por lei desde 2004. Segundo a comunicação social, a Quercus denuncia a presença de amianto, material cancerígeno cuja remoção e tratamento obriga a “procedimentos exigentes”.

A associação ambiental refere ter solicitado a intervenção do serviço de Inspecção Ambiental visando o encerramento da lixeira. “A Quercus-Madeira considera inadmissível que a Câmara Municipal de Santana persista na manutenção desta lixeira infringindo a Lei e pondo em causa o ambiente e a saúde pública.”
Carlos Pereira, Presidente da Câmara Municipal, foi lesto a responder: "Lixeira a céu aberto em Santana é para manter-se". Tá tudo dito, mais palavras para quê?
É com este tipo de política ambiental que os munícipes de Santana querem continuar?

6 comentários:

Anónimo disse...

a quercus, com os subsidios que recebe, devia falar menos e agir mais.

Alexandro Pestana - www.miradouro.pt disse...

hahaha, aqui mesmo perto da minha casa há um caso igual em são vicente! Nem me dou ao trabalho de lá ir fotografar porque é tempo perdido....

Anónimo disse...

Granda Cunhada....

3RRR disse...

Caro , Rui, segundo o próprio presidente da Câmara: "não é uma lixeira. É um depósito de resíduos indiferenciados".

george disse...

Me disgusta ver que existen impresentables en todas partes, bien visto compañero.
Un abrazo

amsf disse...

Santana é cidade e como tal não tem lixeira, tem um depósito de lixo indiferenciado! LOL!